Portal de Conferências da IMED, Transnacionalismo e Globalização: I Simpósio Internacional de Estudos Transnacionais

Tamanho da fonte: 
A Sociedade Civil Globalizada, os Movimentos Sociais e o Comércio Justo: Caminhos Possíveis Na Busca Da Efetividade Da Cidadania
Cláudia Regina Machado Bertholdo, Valquíria Castaldi, Giovanni Olsson

Última alteração: 2018-08-29

Resumo


Resumo

A sociedade civil é concebida como a sociedade organizada que pleiteia, pela participação social, a efetividade dos direitos civis, políticos e sociais. Assim, organizada em movimentos sociais, diante do fenômeno da globalização, passa a ter importante atuação na esfera internacional, assumindo relevante papel de resistência na busca por reivindicação e efetivação de direitos, especialmente diante da crise global e da ineficácia estatal. Neste contexto, um dos movimentos sociais que tem se fortalecido é o Comércio Justo, tema do presente artigo. O movimento do Comércio Justo tem por objetivo garantir a sustentabilidade por meio de uma produção que segue padrões sociais e ambientais equilibrados, que resulta em preços justos, produtores responsáveis e consumidores éticos. Assim, o problema de pesquisa em tela é compreender se o desenvolvimento do Comércio Justo pode ser considerado um instrumento de promoção da cidadania, tendo como objetivo analisar como os movimentos sociais, em especial o Comércio Justo, podem servir de instrumento de efetivação da cidadania. Nesse sentido, a hipótese de pesquisa é que, com a realização de um Comércio Justo, que vise a sustentabilidade social, econômica e ecológica na cadeia de produção e consumo, promove-se, de forma indireta, o exercício da cidadania. Para o desenvolvimento da presente pesquisa, optou-se pelo método dedutivo, de caráter qualitativo, adotando-se a técnica de pesquisa bibliográfica baseada na literatura especializada.

Palavras-Chave: Sociedade civil. Globalização. Movimentos sociais. Comércio justo. Cidadania.

Abstract

Civil society is conceived as an organized society that, through social participation, pleads for the effectiveness of civil, political, and social rights. Thus, organized in social movements, faced with the phenomenon of globalization, they have an important role in the international sphere, taking a relevant role of resistance in the search for demand and effectiveness of rights, especially in the face of the global crisis and state inefficiency. In this context, one of the social movements that has strengthened is Fair Trade, the theme of this article. The Fair Trade movement aims to ensure sustainability through production that follows balanced social and environmental standards, which results in fair prices, responsible producers and ethical consumers. Thus, the problem of research is to understand if the development of Fair Trade can be considered as an instrument for the promotion of citizenship, with the objective of analyzing how social movements, especially Fair Trade, can be an instrument of citizenship effectiveness. In this sense, the research hypothesis is that, with the realization of a Fair Trade that aims at social, economic and ecological sustainability in the chain of production and consumption, the exercise of citizenship is indirectly promoted. For the development of the present research, we opted for the deductive method, with qualitative character, adopting the technique of bibliographical research based on the specialized literature.

Keywords:  Civil society. Globalization. Social movements. Fair trade. Citizenship.

Referências


ARNAUD, André-Jean. O direito entre modernidade e globalização: lições de filosofia do direito e do Estado. Tradução de Patrice Charles Wuillaume. Rio de Janeiro: Renovar, 1999.

 

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 3ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.

 

CORTINA, Adela. Cidadãos do Mundo: para uma teoria da cidadania. Trad. de Silvana Cobucci Leite. São Paulo: Edições Loyola, 2005.

 

COTERA, Alfonso; ORTIZ, Humberto. Comércio Justo. In: CATTANI, A.D. et al. (coord.) Dicionário Internacional da Outra Economia. Coimbra: Almedina, 2009. p. 60-67.

 

DE FAZIO, Marcia Cristina Puydinger. Protagonismos e cenários dos movimentos sociais globais: atores não estatais de resistência e o poder das redes. IN: OLIVEIRA, Odete Maria (Org). Relações internacionais, direito e poder: cenários e protagonismos dos atores não estatais. Volume I. Ijuí: Ed. Unijuí, 2014. p. 323-364.

 

FARIA, José Eduardo. O Direito na economia globalizada. São Paulo: Malheiros, 1999.

FRETEL, Alfonso Cotera; SIMONCELLI-BOURQUE. O comércio justo e o consumo ético. Rio de Janeiro: DP&A: Fase, 2003.

 

GIDDENS, Anthony. As consequências da modernidade. Trad. de Eduardo Monteiro. São Paulo: Unesp, 1991.

 

IANNI, Octavio. A sociedade global. 8ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1999.

 

LAVALLE, Adrián Gurza. Cidadania, igualdade e diferença. Revista Lua Nova, n. 59, p. 75-93, 2003.

 

LUCAS, Doglas Cesar. Os novos movimentos sociais contribuindo para a afirmação democrática do direito e do estado. Direito em Debate. Ano XIV nº 25, jan./jun. 2006, p. 53-88.

 

MARSHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Trad. de Zahar Editores. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967.

 

MASCARENHAS, Gilberto Carlos Cerqueira. O Movimento do Comércio Justo e Solidário no Brasil: entre a solidariedade e o mercado. 2007. Tese (Doutorado) – Programa de Pós Graduação em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, UFRRJ, Rio de Janeiro, 2007.

 

OLSSON, Giovanni. Relações Internacionais e seus atores na era da globalização. Curitiba: Juruá, 2009.

 

OLIVEIRA, Odete Maria de. Relações Internacionais: estudos de introdução. Curitiba: Jurúa Editora, 2001.

 

PRATA, Lizete. O que é comércio justo. 2008. Disponível em: http://www.mundareu.org.br/portal/wp-content/uploads/2011/09/comerciojusto.pdf. Acesso em: 07 maio de 2018.

 

STELZER, Joana; TODESCAT, Marilda; GONÇALVES, Everton das Neves. O projeto da ilha rendada e o comércio justo: princípios normativos, práticas e desafios. In STELZER, Joana; GOMES, Rosemary.(org) Comércio justo e solidário no Brasil e na América Latina. Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração/UFSC, 2016.

 

VIEIRA, Liszt. Sociedade civil e espaço global. Revista São Paulo em Perspectiva, volume 10, n. 4. São Paulo, Fundação Seade, 1996, p. 107-119.


Texto completo: PDF