Portal de Conferências da IMED, I Seminário Acadêmico de Odontologia

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DE LESÕES ORAIS EM PACIENTES IDOSOS USUÁRIOS DE PRÓTESES DENTÁRIAS, DENTRO DE INSTITUIÇÕES DE LONGA PERMANÊNCIA
Gabriele Romansin Gheller, Paola Seidenfus dos Santos, Vanessa Sebben

Última alteração: 2019-12-27

Resumo


Objetivos: O objetivo do estudo foi verificar a prevalência de lesões orais em população idosa institucionalizada, portadora de próteses dentárias removíveis, com adaptação insatisfatória, correlacionando com afrequência, o tempo de uso e o estado geral destas próteses, no período de agosto e setembro de 2019. Materiais e Métodos: A pesquisa de abordagem quantitativa, cujo delineamento é transversa lfoi realizada por meio de aplicação de um questionário e um exame intra-oral em 20 pacientes. As informações coletadas foram relativas ao tempo de uso das próteses e estado deconservação, ainda, foram observadas patologias orais associadas às próteses, e sua localização. Resultados: Observou-se que 95% dos idosos usam a mesma prótese há mais de 5 anos. O tempo de uso é diretamente proporcional a desadaptação das peças. Nas próteses que estavam sendo utilizadas há menos de 5 anos, aprevalência de má adaptaçãofoi de 6,25%,jánas que tinham mais de 5 anos, 31,25% delas estavam insatisfatórias, e por fim,asprótesescommais de10 anos, que representam 56,25%,não estavam adequadas.A região mais acometida foi o fundo de sulco bucal, com úlcera traumática (33,3%). Em seguida aparece opalato duro e mole com candidíase atrófica, numa frequência de 29,16%. Já a mucosa alveolar aparece aproximadamente 25% das vezes. O lábio e o assoalho bucal aparecem apenas uma vez, representando 4,16% dos acometimentos, cada. Conclusões:A prevalência de patologias causadas pela adaptação insatisfatória das próteses dentárias foi alta, e foi diretamente relacionada ao tempo de uso e condições deconservação das peças. A lesão mais frequente foi a úlcera traumática, sendo comum em próteses sobre estendidas, impedindo sua adaptação adequada. A segunda lesão mais comum foi a candidíase atrófica, sendo ela associada às próteses com higiene precária, que apresentavam acúmulo de biofilme, principalmente em região de palato duro e mole. A presente pesquisa revela dados importantes referentes ao descaso com pacientes idosos einstitucionalizados, e o descuido coma saúde bucal dessa população que afeta de formadireta sua qualidade de vida.

Palavras-chave


Prótese dentária. Idoso. Estomatite sob prótese

Texto completo: PDF