Portal de Conferências da IMED, I Seminário Acadêmico de Odontologia

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA À FLEXÃO BIAXIAL DA CERÂMICA VITA SUPRINITY
Daiane Casarin, Rodrigo Varella

Última alteração: 2020-03-05

Resumo


O objetivo deste trabalho foi avaliar a resistência à flexão biaxial da cerâmica Vita Suprinity após uma simulação de ajuste oclusal, seguida de acabamento e polimento. Foram fabricados 45 corpos de prova ( doados pelo Laboratório Coral de Passo-RS) em formato de discos com 12 mm de diâmetro e 1,4 de espessura final. Esses foram aleatoriamente divididos em três grupos: Grupo 1 (controle); Grupo 2(desgaste com ponta diamantada); e Grupo 3 (desgaste com ponta diamantada seguido de polimento com taças EVE). Os grupos passaram pelo teste de resistência à flexão biaxial e, posteriormente, os resultados foram analisados por Análise de Variância de uma via, seguido pelo teste complementar de Tukey (p<0,05). Os Resultados demonstram que a resistência à flexão biaxial obtida pelo Grupo A (208,7 ± 29,7) foi significativamente superior à obtida pelo Grupo B (103,2 ± 15,6) e pelo Grupo C (124,8± 14,5).O estudo concluiu que ajustes intraorais diminuem a resistência a flexão biaxialda cerâmica, tornando fundamental o acabamento e polimento da cerâmica que aumentou significativamente a resistência, porém não sendo capaz de retornar aos valores do cerâmica glazeada sem ajustes.

Palavras-chave


Porcelana Dentária. Ajuste Oclusal. Prótese Dentária

Texto completo: PDF