Portal de Conferências da IMED, VII Semana Acadêmica de Odontologia

Tamanho da fonte: 
PERCEPÇÃO DA DOENÇA PERIODONTAL PELOS PACIENTES DAS CLÍNICAS DE UMA FACULDADE DO SUL DO BRASIL, RS
Eliane Gaio, Michele N. Portilio, Jaqueline Zamarchi, Lilian Rigo, Ana Paula Filippi

Última alteração: 2017-11-03

Resumo


INTRODUÇÃO: Em média cem milhões de indivíduos são portadores de doenças periodontais. O principal fator etiológico é a placa bacteriana, porém, quando associada a alguns fatores de  risco, como: problemas  sistêmicos, comportamentais, socioeconômicos, demográficos e individuais, a doença pode se agravar.

OBJETIVOS:Verificar a prevalência de problemas periodontais e conhecer a percepção dos pacientes em relação a esses problemas.

MATERIAIS E MÉTODOS: O presente estudo apresenta uma abordagem quantitativa e delineamento descritivo de prevalência. A amostra foi não probabilística, avaliando 66 jovens e idosos que procuraram atendimento odontológico nas Clínicas de Odontologia de uma faculdade privada de um município do Norte do Rio Grande do Sul nos meses de agosto e setembro de 2017, sendo considerado um censo. O Projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da IMED (no 2.276.838), para posteriormente aplicar aos participantes um questionário com questões demográficas e  de percepção  com a saúde bucal e satisfação com o corpo. Também, realizou-se um exame clínico, usando o Índice Periodontal Comunitário, que é utilizado para avaliar com agilidade a saúde do periodonto em estudos epidemiológicos, pois leva em consideração a presença de sangramento gengival, cálculo dental e bolsa periodontal.

RESULTADOS: Os dados foram analisados descritivamente observando que a média de idade foi de 38 anos (19 a 83 anos), 63,6% do sexo feminino. 98,5% responderam que a saúde do corpo é essencial, porém, 40,9% estão insatisfeito com o mesma. 98,5% acham que é importante ter dentes e gengivas saudáveis para  conseguir um emprego e que é fundamental na vida. A prevalência de sangramento foi de 80,3%, 90,9% de cálculo dentário e 30,3 % de bolsa periodontal. Porém, somente 50,1 %, 62,1 %, e 39,4 % perceberam sangramento, cálculo e dor/inchaço nas gengivas.

CONCLUSÕES: Conclui-se  que  os  indivíduos  pesquisados  possuem  uma  alta  prevalência  de problemas periodontais, principalmente, a presença de cálculo dentário, porém, não percebem os problemas. Assim, há urgente necessidade de programas de promoção de saúde que visem prevenir doenças periodontais graves que possam levar a perda dentária,  além  disso,  que  os  indivíduos  tenham  adequado  conhecimento  dos problemas que são acometidos.


Palavras-chave


Doença Periodontal. Gengivite. Periodontite.