Portal de Conferências da IMED, VIII Semana Acadêmica de Odontologia

Tamanho da fonte: 
CORRELAÇÃO ENTRE O ESTRESS EMOCIONAL E OS NIVEIS DE HEMOGLOBINA GLICADA EM PACIENTES COM DIABETES MELLITUS TIPO 1
Joane Viecilli Cechetti, Michele Natara Portilio, Emely Silvestrini, Olivia Dorigini, Márcia Khaled Puñales Coutinho, Lilian Rigo

Última alteração: 2018-10-04

Resumo


Introdução: O Diabetes Mellitus tipo 1 (DM1) é uma doença crônica de origem autoimune, que se caracteriza pela destruição das células beta-pancreáticas produtoras de insulina, atingindo principalmente crianças e jovens.1 A ansiedade e o estresse estão frequentemente associadas ao diabetes, podendo resultar em piores desfechos relacionados ao manejo da doença, autocuidado, controle glicêmico e a complicações crônicas.1

Objetivos: O propósito deste estudo foi analisar os níveis de ansiedade em pacientes com DM1 frente ao atendimento odontológico e correlacionar os resultados da Escala de estresse emocional para pacientes com diabetes (DSS) e os níveis da última hemoglobina glicada (HbA1c).

Material e Métodos: O estudo tem uma abordagem quantitativa do tipo transversal com dados do censo de 100 pacientes com diagnóstico de DM1 de idade igual ou superior à de 15 anos, de ambos os sexos, em atendimento no mês de julho de 2018 no Instituto da Criança com Diabetes do Grupo Hospitalar Conceição (ICD/GHC) em Porto Alegre, RS. Para a coleta de dados foram aplicadas a Escala DDS (Diabetes Distress Scale)2 e a Escala de CORAH (Ansiedade Odontológica)3. Os níveis da última HbA1c foram adquiridos a partir dos registros do prontuário do hospital. As análises estatísticas foram realizadas pelos Testes de Correlação de Pearson e de Regressão Linear (R2) entre as variáveis HbA1c e o somatório da escala DDS.

Resultados: Quanto a ansiedade odontológica, 66% apresentaram-se levemente a moderadamente ansiosos. Em relação aos níveis de estresse emocional, 53% apresentaram-se muito estressado emocionalmente com a DM1. Houve uma correlação positiva de 0,43 entre HbA1c e DDS (p<0,001), o que é considerada uma correlação moderada. Ainda, como resultado, 18% da variação na escala DDS é explicada pela variação da HbA1c.

Conclusões: A partir da análise dos resultados foi possível concluir que a maioria dos pacientes com DM1 apresentam-se ansiosos com o tratamento odontológico e muito estressados com a DM1. Houve correlação entre o estresse emocional e os níveis de HbA1c do paciente, sendo ela moderada. Com os achados desta pesquisa sugere-se que seja incluída a avaliação do estresse emocional relacionado à doença, com o intuito de auxiliar no controle glicêmico.



Palavras-chave


Ansiedade ao Tratamento Odontológico. Diabetes Mellitus Tipo 1. Hemoglobina A Glicada. Estresse Psicológico.

Texto completo: PDF