Portal de Conferências da IMED, VIII Semana Acadêmica de Odontologia

Tamanho da fonte: 
Reabilitação de região posterior de mandíbula: Implantes curtos e RTG um relato de caso
Debora Coronetti, Debora Oliboni, Gabriel Rodrigues Oliveira, Atais Bacchi, Vinícius Fabris

Última alteração: 2018-12-04

Resumo


A reabilitação de região posterior mandíbula é considerada ainda como um desafio para o clínico, a utilização de próteses móveis agrava de forma acentuada a reabsorção da região edêntula juntamente com a presença do nervo alveolar inferior, a instalação de implantes nessa região normalmente necessita de técnicas regenerativas associadas. Dentre as possibilidades descritas na literatura estão a lateralização do nervo alveolar inferior, utilização de implantes extra-curtos e a regeneração com utilização de biomateriais e membranas funcionando como barreiras para evitar competição tecidual. O objetivo desse estudo é retratar a partir de um relato de caso a associação de implantes curtos com técnicas de regeneração tecidual para reabilitação de região posterior de mandíbula com reabsorção. A paciente do sexo feminino, 43 anos, buscou atendimento para reabilitação das regiões edêntulas com implantes dentários. Após solicitado e avaliado tomografia computadorizada foi constato dimensões de tecido ósseo insuficientes para a instalação de implantes. A partir desses dados o caso foi planejado e reabilitado com a utilização de implantes curtos Straumann associados a técnica de regeneração tecidual guiada com uso de Bio- oss e Bio-guide. Após a fase cirúrgica foi aguardado um período de 6 meses para reabertura e instalação das peças protéticas. A partir do resultado obtido no tratamento é possível concluir que a instalação de implantes associado a utilização de biomateriais é uma alternativa eficaz e com menor morbidade que pode ser utilizada região posterior de mandíbula.



Palavras-chave


Implante dentário. Enxerto ósseo. Reabilitação bucal.

Texto completo: PDF