Portal de Conferências da IMED, VIII Semana Acadêmica de Odontologia

Tamanho da fonte: 
PREVALÊNCIA DE EDENTULISMO E A AUTOPERCEPÇÃO DE SAÚDE BUCAL EM UM MUNICÍPIO DO SUL DO BRASIL – UM ESTUDO DE BASE POPULACIONAL
Luiza Paloma dos Santos Girotto, Luiza Dal Zot Von Meusel, Alexandra Silveira, Graziela Oro Cericato

Última alteração: 2018-10-04

Resumo


Introdução: Tendo em consideração a saúde bucal da população, a perda dentária é um agravo de alta prevalência, impactando negativamente na manutenção da capacidade funcional e na qualidade de vida1. Essa condição pode ser encontrada como resultado de fatores socioeconômicos e de doenças bucais vivenciadas, tais como a cárie dentária e a doença periodontal2. Estudos têm demonstrado que a perda dentária afeta negativamente a qualidade de vida, comprometendo as atividades como fonação, deglutição, mastigação e a vivência social. A perda dentária é um importante problema de saúde pública no Brasil e se coloca como um desafio a ser enfrentado pelas políticas de saúde bucal de forma que as ações implantadas reduzam os danos causados por este agravo. Objetivos: A partir disso, o objetivo deste trabalho foi estimar a prevalência autorreferida de edentulismo, a autopercepção de saúde bucal e relação desta com o uso de prótese dentária. Material e Métodos: O estudo é transversal de base populacional e foi realizado com 465 indivíduos, com idade média de 43 anos, em Passo Fundo, RS, Brasil. A coleta de dados foi realizada por entrevistadores previamente treinados, por meio de formulários impressos conforme dois questionários validados: Autopercepção em Saúde Bucal validado pelo consórcio de pesquisa da UFPEL e OHIP-14. Resultados: Após uma autoanalise os entrevistados relataram possuir uma média de 11 dentes presentes tanto na arcada superiores quanto inferior (dp 5,00). Em relação a autopercepção da saúde bucal, 50% dos indivíduos relataram estar “boa”, 27,74% “regular”, 13,98% “muito boa”, 5,81% “ruim” e apenas 2,37% julgaram estar “muito ruim”. Associando a autopercepção de saúde oral com a autopercepção da necessidade do uso de prótese dentária, obteve-se como resultado que os pacientes que percebem a necessidade protética tendem a classificar de maneira pior sua saúde bucal. Conclusões: Os resultados baseados no paciente realçam a necessidade de intervenções de saúde pública para reduzir as desigualdades de saúde e para uma melhor na percepção da qualidade da saúde oral individual, uma vez que há uma elevada taxa de perda dentária autorreferida e uma percepção negativa quando a saúde bucal.


Palavras-chave


Edentulismo. Perda dentária. Autopercerção. Saúde Bucal.

Texto completo: PDF