Portal de Conferências da IMED, VIII Semana Acadêmica de Odontologia

Tamanho da fonte: 
EFEITO DA CLOREXIDINA E DO FLÚOR NA INIBIÇÃO DA ATIVIDADE GELATINOLÍTICA SALIVAR IN VIVO: RESULTADOS PRELIMINARES
Emanuella Gaviolli, Elenuza de Souza Oltramari, Alexandra Graunke, Luana Boschi, Débora Coronetti, Rodrigo Varella de Carvalho

Última alteração: 2018-12-04

Resumo


Introdução: A clorexidina (CLX), e mais recentemente, o fluoreto de sódio (NaF) têm sido estudados por sua capacidade de inibição das metaloproteinases (1,2). No entanto, em nosso melhor conhecimento, não existe estudo avaliando o efeito do NaF na atividade dessas enzimas na saliva humana in vivo.

Objetivo: Este estudo comparou a atividade gelatinolítica na saliva de pacientes antes e após o uso tópico de CLX 0,12% e NaF neutro gel a 2%.
Metodologia: Doze pacientes com idade entre 8 e 19 anos foram divididos em dois grupos: G1 (6) – bochecho com CLX 0,12% por 1 min e G2 (6) – aplicação tópica de NaF neutro gel a 2% por 1 min. Para a coleta os pacientes foram orientados a não escovar os dentes, ou usar qualquer produto enxaguatório, por pelo menos 2h. A coleta inicial (T1) foi realizada após a anamnese e exame clínico. Após a aplicação dos produtos, o paciente foi orientado a cuspir o excesso dos produtos por 1 min para uma nova coleta (T2). As amostras foram centrifugadas (12000 rpm por 5 minutos), o sobrenadante aspirado e congelado a -20C até a realização das zimografias. A expressão e atividade das gelatinases foi representada por regiões claras no gel de poliacrilamida, e foram quantificadas com o software ImageJ. Os dados foram submetidos ao teste T pareado (p<0,05).

Resultados: As MMPs 2 e 9 foram detectadas na saliva dos dois grupos (G1 e G2) avaliados no T1. Já para a saliva obtida no T2 foi observada uma inibição estatisticamente significativa na expressão e atividade das gelatinases [CLX (p=0,018) e do NaF (p=0,027)].

Conclusão: CLX e NaF, se mostraram eficazes na inibição da atividade gelatinolítica salivar in vivo.



Palavras-chave


Polpa dentária. Metaloproteinases da matriz. Eletroforese em gel de poliacrilamida. Dente decíduo.

Texto completo: PDF