Portal de Conferências da IMED, X Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e IX Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação da IMED 2016

Tamanho da fonte: 
PRINCIPAIS FATORES DE ESTRESSE RELATADOS POR PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DE HOSPITAIS PSIQUIÁTRICOS.
Tainá Rossi, Janaina Sanson, Camila Oliveira

Última alteração: 2016-07-26

Resumo


Introdução: o estresse caracteriza-se como um conjunto de reações que um organismo desenvolve ao ser submetido a uma situação que exige esforço de adaptação. Tais reações produzem modificações na estrutura e na composição química do corpo e podem ser observadas e mensuradas. O estresse divide-se em quatro fases: alarme, resistência, quase-exaustão e exaustão em que pode se manifestar a Síndrome de Burnout e favorecer o surgimento de doenças, podendo culminar até mesmo na morte. Analisando a atividade Ocupacional, os profissionais da área da saúde apresentam maior índice de estresse. Dentre eles, a área da enfermagem é considerada como uma das mais expostas aos agentes estressores. Contudo, há indivíduos resilientes que se mostram capazes de aproveitar situações limites para crescimento pessoal frente às mudanças e desafios. Esse tema vem sendo estudado em âmbito ocupacional, pois o estresse interfere diretamente na vida dos trabalhadores, alterando níveis de produtividade, satisfação, e saúde das pessoas ocasionando cansaço, desgaste físico e emocional, e até acidentes de trabalho. Além disso, há poucos estudos que investigam esses profissionais no campo psiquiátrico, impactando na elaboração de estratégias de intervenção. Objetivo: o presente estudo buscou investigar os fatores de estresse relatados por profissionais da enfermagem (enfermeiros, auxiliares e técnicos de enfermagem) que atuam em hospitais psiquiátricos. Método: realizou-se uma revisão narrativa da literatura nacional, consultando-se diferentes bases de dados como SciELO e Portal Capes. Considerações finais: os estudos encontrados revelaram que, além de sofrer mais riscos ao desenvolvimento do estresse no hospital psiquiátrico, os profissionais de enfermagem diariamente convivem com pacientes psicóticos, depressivos e esquizofrênicos. Nesse sentido, são submetidos a situações nas quais os pacientes destroem materiais, fogem, têm crises de choros, fazem agressão verbal, cometem violência física, entre outras intercorrências, as quais interferem diretamente no estado emocional e físico da prática da enfermagem. Destaca-se que o número de pesquisas encontradas relacionadas à temática foi bastante limitado. Dessa forma, sugere-se como continuidade do estudo a realização de entrevistas com profissionais de enfermagem de hospitais psiquiátricos de modo a ampliar a compreensão dos fatores de estresse, possibilitando estratégias de prevenção e promoção de qualidade de vida.