Portal de Conferências da IMED, X Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e IX Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação da IMED 2016

Tamanho da fonte: 
RELAÇÃO ENTRE CONCEITOS DO MARKETING E DO CUIDADO EM ORGANIZAÇÕES DE SAÚDE
Sidimar Meira Sagaz, Deison Alencar Lucietto

Última alteração: 2016-07-14

Resumo


Evoluções no marketing e nos saberes de saúde, ao buscarem a melhor compreensão das necessidades humanas, têm mudado a forma com que organizações e profissionais prestam serviços. Este artigo teve por objetivo compreender a relação entre a evolução das abordagens do marketing e do cuidado em organizações de saúde. Ele parte do pressuposto que o cuidado deve ser o eixo norteador das práticas assistências no setor saúde. Foi conduzida pesquisa bibliográfica do tipo revisão narrativa de literatura. Os resultados apontam que o uso de abordagens do marketing, associadas ao fomento do cuidado, podem gerar melhorias e avanços significativos no setor, através do maior engajamento entre equipes, da geração de afeição e de maior percepção de valor pelos clientes. Entende-se, então, que associar práticas de marketing e do cuidado configura-se como mecanismo de transformação das sociedades, sendo capaz de propor um caminho à luz de uma nova ética mercadológica, de relacionamentos mais humanísticos entre organizações, profissionais e consumidores.Marketing. Organizações de Saúde. Cuidado. Saúde.

Palavras-chave


Marketing. Organizações de Saúde. Cuidado. Saúde.

Referências


AYRES, J. R. C.M. Sujeito, Intersubjetividade e Práticas de Saúde. Revista Ciência & Saúde Coletiva, v. 6, n. 1, p. 63-72, 2001.

AYRES, J. R, C. M. Cuidado e Reconstrução das Práticas de Saúde. Revista Interface-Comunicação, Saúde, Educação, v. 8, n. 14, p. 73-91, 2004.

BOFF, L. Saber Cuidar: ética do humano - compaixão pela terra. Petrópolis: Editora Vozes, 1999.

BONET, O. Educação em saúde, cuidado e integralidade. De fatos sociais totais e éticas. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A. (Orgs.). Cuidado: as fronteiras da integralidade. Rio de Janeiro: HUCITEC: ABRASCO, 2004

CAMARGO Jr., K. R. Um Ensaio Sobre a (In)Definição de Integralidade. In: PINHEIRO, R.; MATTOS, R. A (Orgs.). Construção da Integralidade: cotidiano, saberes e práticas em saúde. Rio de Janeiro: UERJ, IMS: ABRASCO, 2003.

CHIAVENATO, I. Administração de recursos humanos: fundamentos básicos. São Paulo: Atlas, 2006.

COBRA, M. O marketing que agrega valor. Revista de Administração da UNIMEP, Piracicaba, v. 1, n. 1, p. 44-56, 2003.

DAVIES, E. Marketing: aprenda em uma semana, lembre por toda a vida. São Paulo: Saraiva. 2012.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

GONÇALVES, E. P; MACHADO, M. B. E; MARQUES, R. Marketing de relacionamento para fidelizar clientes. Revista Gestão Contemporânea, Vitória, v. 2, n. 2, 2012.

HONORATO, G. Conhecendo o marketing. Barueri: Manole. 2004.

KÖCHE, L. M; KÖCHE, M. I.; SCHNEIDER, A. O marketing aplicado na saúde. Revista Comunicação & Mercado/UNIGRAN, Dourados, v. 1, n. 1, p. 76-84, 2012.

KOTLER, P. Administração de marketing. São Paulo: Editora: Atlas, 1998.

KOTLER, P. Marketing de A a Z: 80 conceitos que todo profissional de marketing precisa saber. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

KOTLER, P; KARTAJAYA, H; SETIAWAN, I. Marketing 3.0: as forças que estão definindo o novo marketing centrado no ser humano, Rio de Janeiro: Editora Elsevier, 2010.

KOTLER, P; SHALOWITZ, J.; STEVENS, R. J. Marketing estratégico para a área da saúde. Porto Alegre: Bookman, 2010.

LIMA et al., Gestão de marketing. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

LIRA, P. S; SILVA, M. J. P. O Cuidado como uma Lei da Natureza: uma percepção integral do cuidar. Revista da Escola de Enfermagem da USP, n. 42, v. 2, p. 363-370, 2008.

MAGALHÃES, M. R. A et al. Marketing de relacionamento em serviços médicos privados. In: Encontro Nacional dos programas de Pós-graduação em Administração, 33, 2009, São Paulo. Anais...São Paulo: ANPAD, 2009. p. 1-15.

MAXIMIANO, A. C. A. Introdução à administração. São Paulo: Atlas, 2000.

MENDES, E. V. Os sistemas de serviços de saúde: o que os gestores deveriam saber sobre essas organizações complexas. Fortaleza: Escola de Saúde Pública do Ceará, 2002.

MERHY, E. E. A perda da dimensão cuidadora na produção da saúde: uma discussão do modelo assistencial e da intervenção no seu modo de trabalhar a assistência. In: REIS, A. T. et al. (Orgs.). Sistema Único de Saúde em Belo Horizonte: reescrevendo o público. São Paulo: Xamã, 1998.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

MORGAN, G. Imagens da organização. São Paulo: Atlas, 1996.

MOTTA, P. R. Transformação organizacional: a teoria e a prática de inovar. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2001.

OLIVEIRA, E. G et al. Marketing de serviços: relacionamento com o cliente e estratégias para a fidelização. Revista de Administração da Fatea, Lorena, v. 2, n. 2, p. 79-93, 2009.

OLIVEIRA, M. V et al. Cenário para o setor de prestação de serviços na área da saúde: Hospital Regional de Franca S/A. In: XI Encontro de Pesquisadores, 11, 2010, Franca. Anais... Franca: Uni-FACEF, 2010. p. 709-728.

ROBERTS, K. Lovemarks: o futuro além das marcas. São Paulo: Editora M. Books do Brasil, 2005.

ROSALY, R; ZUCCHI, P. O marketing na área de saúde. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 5, n. 38, p. 711-728, 2004.

ROTHER, E. T. Revisão sistemática x revisão narrativa. Revista Acta Paulista de Enfermagem, São Paulo, v. 20, n. 2, p. 5-6, 2007.

SERRA, M. C. et al. Ferramentas de marketing empregadas por cirurgiões dentistas. Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v. 53, n. 2, p. 155-158, 2005.

TEIXEIRA et al. Marketing em organizações de saúde. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2010.

ZEITHAML, V. A; BITNER, M. J; GREMLER, D. D. Marketing de serviços: a empresa com foco no cliente. Porto Alegre: AMGH Editora, 2014.

ZOZZOLI, J. C. J. Sobre a importância do emocional na política marcaria. Revista Signos do Consumo, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 66-81, 2012.

Texto completo: PDF