Portal de Conferências da IMED, X Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e IX Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação da IMED 2016

Tamanho da fonte: 
MARKETING SOCIAL E SAÚDE COLETIVA: EM BUSCA DE UMA SOCIEDADE MELHOR
Sidimar Meira Sagaz, Deison Alencar Lucietto

Última alteração: 2016-07-14

Resumo


Saberes e práticas oriundos do Marketing e da Saúde têm sido manejados em favor da mudança de comportamentos na busca por melhores condições de vida e saúde. Este artigo teve como objetivo principal analisar definições, usos e relações do Marketing Social e da Saúde Coletiva. Tratou-se de revisão integrativa da literatura associando pesquisa bibliográfica tradicional e nas bases de dados EBSCO, SPELL, BVS e SciELO (2015). Identificou-se que o Marketing Social e a Saúde Coletiva têm especificidades em termos de origens, definições e práticas. Ainda, que conceitos e ferramentas do marketing podem ser utilizados em ações voltadas para a obtenção de saúde pelas coletividades. Há muito mais semelhanças do que diferenças entre eles, especialmente quando se evidencia que Marketing Social e Saúde Coletiva têm, na busca por uma sociedade melhor, sua finalidade principal. Tal entendimento estimula a aproximação destes campos em um contexto em que os problemas sociais e de saúde exigem respostas interdisciplinares e multiprofissionais.

Palavras-chave


Marketing Social. Saúde Coletiva. Mudança de comportamentos. Sociedade. Saúde.

Referências


BARBOZA, S. I. S. Marketing social aplicado à doação de sangue: fatores condicionantes de comportamento. João Pessoa. Dissertação (Mestrado em Administração) (Mestra em Administração – Gestão Organizacional). Universidade Federal da Paraíba, 2012.

BARBOZA, S. I. S; COSTA, F. J. Marketing social para doação de sangue: análise da predisposição de novos doadores. Caderno de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 30, n. 7, p. 1463-1474, 2014.

BIRMAN, J. A physis da saúde coletiva. Physis Revista de Saúde Coletiva, v. 1, n. 1, p. 7-11, 1991.

BOTAZZO, C.  Saúde bucal e cidadania: transitando entre a teoria e a prática. In: PEREIRA, A. C. (Org.). Odontologia em Saúde Coletiva: planejando ações e promovendo saúde. Porto Alegre: Artmed Editora, 2003. p. 17-27.

CAMARGO JUNIOR., K. R. As Muitas Vozes da Integralidade. In: PINHEIRO; R; MATTOS, R. A. (Orgs.). Os Sentidos da Integralidade na Atenção e no Cuidado à Saúde. Rio de Janeiro: UERJ, IMS-ABRASCO, 2001. p. 11-15.

CANESQUI, A.M. Temas e abordagens das ciências sociais e humanas em saúde na produção acadêmica de 1997 a 2007. Revista Ciência e Saúde Coletiva. Rio de Janeiro, v. 15, n. 4, p. 1955-1966,  2010 .

CAVALCANTE, T. M.  O controle do tabagismo no Brasil: avanços e desafios.  Revista de Psiquiatria Clínica, São Paulo, v. 32, n. 5, p. 283-300, 2005.

COSTA, F. M. S. et al. Desinstitucionalização de práticas no carnaval do Rio de Janeiro: uma análise para além da literatura de marketing social. Revista Gestão e Sociedade, Belo Horizonte. v. 7, n. 16, p. 26-50, 2013.

FARIAS, R. J. M.; SOUZA, L. B. Impacto do marketing dos processos de divulgação nas doações de córneas a um banco de tecidos oculares humanos e avaliação do perfil socioeconômico de seus doadores. Revista Arquivo Brasileiro Oftalmologia, São Paulo, v. 71, n. 1, p. 28-33, 2008.

FREITAS-DA-COSTA, M; MATOS, C. R. B. de. O marketing social como uma ferramenta de promoção para Instituição filantrópica. Revista de Administração Pública e Gestão Social, Viçosa, v.1, n.1, p. 67-87, 2009.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Editora Atlas, 2010.

KOTLER, P; LEE, N. R. Marketing social: influenciando comportamentos para o bem. Porto Alegre: Bookman, 2011.

KOTLER, P.; ZALTMAN. Social marketing: an approach to planned social change. Journal of Marketing, Chicago, v. 36, n. 1, p. 03-12, 1971.

LARA, R. D. et al. Avaliação de Programas de Marketing Social: Uma análise dos instrumentos utilizados para avaliação do Programa Ambientação do Governo do Estado de Minas Gerais. Revista Desenvolvimento em Questão, Ijuí, v. 13, n. 29, p. 191-224, 2015.

LIMA, N. T.; SANTANA, J. P. Saúde Coletiva como compromisso: a trajetória da ABRASCO. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 2006.

LUDWIG, S. T; RODRIGUES, A. C. M. Doação de sangue: uma visão de marketing. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 3, p. 932-939, 2005.

MARTINS, O. M. D. et al. O marketing social e a promoção de mudanças estruturais no aleitamento materno. Revista de Administração, São Paulo, V. 54, n. 4, p. 370-380, 2014.

MAZZON, J. F. Marketing Social: conceitos e perspectivas de utilização no Brasil. Revista de Administração, São Paulo, v.17, n.4, p. 5-22, 1982.

MENDES, E. V. As redes de atenção à saúde. Revista Ciência e Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 15, n. 5, p. 2297-2305, 2010.

MINAYO, M. C. S. Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. Petrópolis: Editora Vozes, 2008.

MINCIOTTI, S. A. Marketing Social: uma ampliação do conceito de troca. Revista de Administração, São Paulo, v. 18, n. 2, p. 53-58, 1983.

MOTA, J. R. et al. Impacto do apelo ao medo nas embalagens do cigarro: a percepção de fumantes em relação às mensagens de advertência antitabagismo. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, Campo Largo, v. 12, n. 2, p. 112-125, 2013.

NUNES, E. D. Saúde Coletiva: história de uma ideia e de um conceito. Revista Saúde e Sociedade, São Paulo, v. 3, n. 2, p. 5-21, 1994.

OLIVEIRA, V. et al. Responsabilidade social corporativa e uso de iniciativas de marketing para o bem estar da sociedade: estudo no APL moveleiro de Ubá. Revista de Administração da UEG, Aparecida de Goiânia, v. 3, n. 2, p. 43-63, 2012.

PAIM, J. Determinantes Sociais da Saúde. Apresentação feita no lançamento da Política Nacional de Promoção da Saúde, realizada em 05/12/06, em Brasília.

PAIM, J.S; FILHO, N. A. Saúde Coletiva: uma “nova saúde pública” ou campo aberto a novos paradigmas? Revista de Saúde Pública, v. 32, n. 4, p. 299-316, 1998.

PORTO, M. P. Lutando contra a AIDS entre meninas adolescentes: os efeitos da campanha de carnaval de 2003 do Ministério da Saúde do Brasil. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 21, n. 4, p. 1234-1243, 2005.

REZENDE, L. B. O. et al. Doação de órgãos no brasil: uma análise das campanhas governamentais sob a perspectiva do marketing social. Revista Brasileira de Marketing, São Paulo, vol. 14, n. 3, p. 362-376, 2015.

RODRIGUES, R. S. M; REIBNITZ, K. S. Estratégias de captação de doadores de sangue: uma revisão integrativa da literatura. Revista Texto & Contexto Enfermagem, Florianópolis, v. 20, n. 2, p. 384-391, 2011.

RUDIO, F. V. Introdução ao projeto de pesquisa científica. Petrópolis: Vozes, 2014.

SCHNEIDER, G; LUCE, F. B. Marketing social: abordagem histórica e desafios contemporâneos. Revista Brasileira de Marketing, vol. 13, n. 3, p. 125-137, 2014.

SILVA, E. C; MINCIOTTI, S. A. Marketing Ortodoxo, Societal e Social: as diferentes relações de troca com a sociedade. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, São Paulo, v. 7, n. 17, p. 15-22, 2005.

SOUZA, L. E. P. F. Saúde Pública ou Saúde Coletiva? Revista Espaço para a Saúde, Londrina, v. 15, n. 4, p. 01-21, 2014.

SOUZA, M. T; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer? Revista Einstein, São Paulo, v. 8, n. 1, p. 102-106, 2010.

VASCONCELLOS, E. D. Complexidade e Pesquisa Interdisciplinar: Epistemologia e Metodologia Operativa. Petrópolis: Editora Vozes, 2002.

WEINREICH, N. K. Hands-On Social Marketing: a step-by-step guide. Thousand Oaks: SAGE Publications. 1999.


Texto completo: PDF