Portal de Conferências da IMED, XIV Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XIII Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2020

Tamanho da fonte: 
A INTER-RELAÇÃO DOS INDICADORES DE SAÚDE DE CIDADES INTELIGENTES E A COVID-19: UMA ABORDAGEM DE PASSO FUNDO/RS
Letícia Muller, Thaísa Leal da Silva

Última alteração: 2020-10-27

Resumo


A recente crise gerada pela expansão da COVID-19 tem demonstrado, mais uma vez, que as cidades estão no centro dos grandes acontecimentos contemporâneos. Elas surgem como protagonistas, e adaptá-las a esse novo contexto de crise de saúde têm sido um grande desafio aos gestores públicos. Uma das iniciativas que visa auxiliar nesse processo de gestão e planejamento é o conceito de Cidades Inteligentes, que utiliza as TICs como ferramentas de transformação no meio urbano, e por meio de indicadores urbanos faz a mensuração das informações da cidade. Neste sentido, a presente pesquisa objetivou analisar os indicadores de Saúde da cidade de Passo Fundo/RS, buscando analisar a inter-relação desses indicadores com os dados epidemiológicos decorrentes da pandemia da COVID-19. Na metodologia, utilizou-se como referência os indicadores do Ranking Connected Smart Cities (RCSC) mais recente (2019), bem como, um recorte regional das cidades de médio porte da Região Sul do Brasil melhor classificadas no RCSC. Foram aplicados procedimentos multimétodos de coleta e levantamento de dados e, por fim, uma análise crítica sobre o tema foi desenvolvida. Os resultados demonstram que os índices de Saúde de Passo Fundo são, em sua maioria, inferiores àqueles das cidades analisadas, apresentando como principal fragilidade o indicador relacionado à Atenção Básica à Saúde. Além disso, no que diz respeito ao quadro epidemiológico da COVID-19, Passo Fundo apresentou um elevado número de óbitos quando comparado às demais cidades analisadas. Assim, foi possível perceber que as cidades de médio porte que apresentam iniciativas de Cidades Inteligentes, tiveram um melhor desempenho no enfrentamento à pandemia da COVID-19.


Palavras-chave


Cidades Inteligentes; COVID-19; Indicadores Urbanos; Indicadores de Saúde; Passo Fundo/RS.

Referências


BATTY, Michael; AXHAUSEN, Kay W.; GIANNOTTI, Fosca. Smart cities of the future. The European Physical Journal. Berlim, p. 481-518. dez. 2012.

BRANDÃO NETO, José de Souza. O papel do desenho urbano no planejamento estratégico: a nova postura do arquiteto no plano urbano contemporâneo. 2002. Disponível em: https://www.vitruvius.com.br/revistas/read/arquitextos/03.025/773. Acesso em: 27 jun. 2020.

CARAGLIU, Andrea; DEL BO, Chiara; NUKAMP, Peter. Smart cities in Europe. In:3 rd Central European Conference in Regional Science - CERS, 2009, p. 45-59. Disponível em: <https://inta-aivn.org/images/cc/Urbanism/background%20documents/01_03_Nijkamp.pdf  >.Acesso em: 27 jun. 2020.

CASTELLS, Manuel. A questão urbana. 4ª Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2009.

DATASUS - Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde. Disponível em: https://opendatasus.saude.gov.br/dataset/painel-da-covid-19. Acesso em: 20 jun. 2020

DE PAOLI, Diná. O valor do desenho urbano na construção de bairros habitacionais e comunidades. Campinas, 2013. 279 f. [Tese] Linha de Pesquisa – Metodologia e Teoria do Projeto e da Cidade, Doutorado em Arquitetura, Tecnologia e Cidade - Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo, Universidade Estadual de Campinas, 2013.

ESF – Estratégia da Saúde da Família. Disponível em: https://aps.saude.gov.br/ape/esf/ .Acesso em: 28 jun.2020.

FACCHINA, Marcelo. Governar as cidades em tempos de crise: O papel dos dados para a resiliência dos governos subnacionais. 2020, Caracas:CAF. Disponível em: http://scioteca.caf.com/handle/123456789/1579.Acesso em: 20 jun. 2020.

FREITAS, Robson Almeida Borges de; MELO, Humbérila da Costa e Silva; AZEVEDO, Margarete Almeida Freitas de; OLIVEIRA JÚNIOR, Antonio Martins de; SÁ, José Luiz Silva. Prospecção Científica sobre Epidemiologia e Prevenção da Covid-19 Aliada à Inteligência Artificial. Cadernos de Prospecção, Salvador, v. 13, n. 2, p. 543-558, abr. 2020.

FRIEDE, Reis. Uma reflexão sobre as medidas iniciais adotadas no combate à COVID -19  no Brasil.. Revista Augustus, Rio de Janeiro, v. 25, n. 51, p. 15-30, 2020.

GIFFINGER, Rudolf; FERTNER, Christian; KRAMAR, Hans; PICHLER-MILANOVIC, Nick; MEIJERS, Eduard. Smart Cities: Ranking of European Medium-Sized Cities. Vienna , Austria: Centre of Regional Science(SRF), Vienna University of Tecnology. 2007.

GOLDEN, Sherita Hill. Coronavirus in African Americans and Other People of Color. 2020. Johns Hopkins Medicine. Disponível em: https://www.hopkinsmedicine.org/health/conditions-and-diseases/coronavirus/covid19-racial-disparities. Acesso em: 20 jun. 2020.

HAESBAERT, Rogério. Da desterritorialização à multiterritorialidade. Anais do X Encontro de geógrafos da América Latina, USP, São Paulo, 2005.

IBGE- Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Indicadores de Desenvolvimento Sustentável- Brasil, 2012. Disponível em:< https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/ids/tabelas > Acesso em: 21 jun. 2020.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Classificação e caracterização dos espaços rurais e urbanos do Brasil: uma primeira aproximação. IBGE, Coordenação de Geografia. – Rio de Janeiro: IBGE, 2017.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama Nacional. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/panorama. Acesso em: 27 jun. 2020.

KOMNINOS, Nico. Intelligent Cities: Innovation, Knowledge Systems and Digital Spaces. 1 ed. London: Routledge, 2002, 320p.

LAUGHLAND, Oliver; ZANOLLI, Lauren. Why is coronavirus taking such a deadly toll on black Americans? Longstanding health and socio-economic disparities have made minorities more vulnerable to Covid-19. 2020. The Guardian. Disponível em: https://www.theguardian.com/world/2020/apr/25/coronavirus-racial-disparities-african-americans. Acesso em: 20 jun. 2020.

LEITE, Carlos; AWAD, Juliana Cesare Marques. Cidades Sustentáveis, Cidades Inteligentes: Desenvolvimento sustentável num planeta urbano. Porto Alegre: Bookman, 2012, 264 p.

NAM, T; PARDO, T. A. Conceptualizing Smart City with Dimensions of Technology, People, and Institutions. In: Proceedings of the 12th Annual International Digital Govermnent Research Conference: Digital Govemment Innovation in Challenging Times. ACM, pp. 282-291. 2011.

RCSC – RANKING CONNECTED SMART CITIES. Construção de Cidades mais Inteligentes, Humanas e Sustentáveis. 2019. Disponível em: https://www.connectedsmartcities.com.br/  Acesso em: 10 jun. 2020.

PALETTA, Francisco Carlos; VASCONCELOS, Paula Oliveira; GONÇALVES, Ygor Soares. A biblioteca no contexto das Cidades Inteligentes. PBCIB: Pesquisa Brasileira em Ciência da Informação e Biblioteconomia, João Pessoa, v. 10, n. 2, p. 1-18, 2015.

TARIN, Denise. O Desastre provocado pela COVID-19: A crise na Gestão Pública e o papel da Defesa Civil na prevenção e resposta. In: COVID-19: Crises entremeadas no contexto de pandemia. São Carlos: UFSCar, 2020. p. 57-71.

USTUGOVA, Svetlana; PARYGIN, Danila; SADONIKOVA, Natalia; YADAV, Vibhash; PRIKHODKOVA, Inna. Geonalytical System for Suppirt of Urban Processes Management Tasks. In: KRAVETS, Alla; SHCHERBAKOV, Maxim; KULTSOVA, Marina; GROUMPOS, Peter (ed.). Creativity in Intelligent Technologies and Data Science. 2. ed. Volgograd: Cit&ds, 2017. p. 432-463.

WALDMAN, Eliseu Alves; SATO, Ana Paula Sayuri. Trajetória das doenças infecciosasno Brasil nos últimos 50 anos: um contínuo desafio. Revista de Saúde Pública, 2016. Disponível em: https://www.scielo.br/pdf/rsp/v50/pt_0034-8910-rsp-S1518-87872016050000232.pdf.Acesso em: 20 jun. 2020

WEISS, Marcos Cesar. Os desafios à gestão das Cidades: Uma chamada para ação em tempos de emergência das Cidades Inteligentes no Brasil. Revista Direito da Cidade, v. 9, p. 788-824, 2017.


Texto completo: PDF