Portal de Conferências da IMED, XIV Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XIII Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2020

Tamanho da fonte: 
A LÓGICA CIRCULAR DA NATUREZA COMO MODELADORA DE CENÁRIOS
Vitória Antunes Canali, Nauana da Costa Reginato, Bárbara Brizola Rosa, Alcindo Neckel

Última alteração: 2020-10-27

Resumo


As cidades, assim como a natureza, são entendidas como ecossistemas: ambas se apresentam como sistemas que englobam a interação entre os seres vivos e os seres não vivos. Contudo, costumam diferir por meio de suas características. Se por um lado a natureza opera de forma cíclica, com capacidade sustentável, resiliente e autorreguladora, por outro, as cidades comumente se apresentam de forma linear, baseando-se apenas em abastecimento e descarte. Em razão disso, se impulsiona o consumo desenfreado e o esgotamento dos recursos disponíveis, de modo a distanciar a natureza dos processos humanos. Com base no breve panorama descrito, a presente pesquisa tem como objetivo geral verificar aspectos referentes aos componentes do desenho urbano e suas inter-relações com os serviços ecossistêmicos. Metodologicamente, realizou-se uma análise de natureza qualitativa e de caráter explicativo crítico, partindo de revisões bibliográficas pertinentes ao tema. Acerca da estrutura, está dividida em três capítulos que discutem os temas base: o espaço urbano sustentável e resiliente, os ecossistemas lineares e cíclicos, e por fim, os componentes do desenho urbano para cidades com metabolismo circular. Os resultados demonstram que as potencialidades existentes no desenho urbano ao serem incorporadas na lógica circular do ambiente urbano, auxiliam na aproximação entre a natureza e as pessoas. Para tal, a construção de cenários permitiu uma maior aproximação entre o desenho urbano e os processos ecossistêmicos.


Palavras-chave


Desenho Urbano; Ecossistema; Metabolismo Circular; Cidades Sustentáveis e Resilientes

Texto completo: PDF