Portal de Conferências da IMED, XIV Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XIII Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2020

Tamanho da fonte: 
O NASCIMENTO DO PRIMEIRO E SEGUNDO FILHO E OS SINTOMAS DEPRESSIVOS, DE ESTRESSE, E DE ANSIEDADE NO PÓS-PARTO: UM ESTUDO CORRELACIONAL ENTRE MÃES E PAIS
Eleonora Brum Voigt

Última alteração: 2020-10-27

Palavras-chave


maternidade; paternidade; ansiedade; estresse; sintomas depressivos;

Referências


Andolfi, M. (1996). A família como sistema de interação. São Paulo: Workshopsy.

Baptista, M. N., & Campos, D. C. de. (2016). Metodologia de pesquisa em ciências: Análises quantitativa e qualitativa (2a ed.). Rio de Janeiro: LTC.

Bradt, J. O. (1995). Tornando-se pais: Famílias com filhos pequenos. In B. Carter, & M. McGoldrick (Orgs), As mudanças no ciclo de vida familiar: Uma estrutura para a terapia familiar (2a ed., pp. 206-222). Porto Alegre: Artmed.

Carter, B., & McGoldrick, M. (1995). As mudanças no ciclo de vida familiar: Uma estrutura para terapia familiar (2a ed.). Porto Alegre: Artmed.

Canavarro, M. C. (2001). Gravidez e maternidade: Representações e tarefas de desenvolvimento. In M. C. Canavarro (Ed.), Psicologia da gravidez e da maternidade (pp. 17-49). Coimbra: Quarteto.

Ferreira, V. R. T. (2012). Levantamento da Intensidade de Sintomas Depressivos – LIS-D [Autoavaliação de sintomas depressivos]. Instrumento não-publicado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia da IMED: Passo Fundo.

Ferreira, V. R. T. (2015a). Levantamento da Intensidade de Sintomas de Ansiedade – LIS-A [Autoavaliação de sintomas ansiosos]. Instrumento não-publicado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia da IMED: Passo Fundo.

Ferreira, V. R. T. (2015b). Levantamento da Intensidade de Sintomas de Estresse – LIS-E [Autoavaliação de sintomas de estresse]. Instrumento não-publicado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia da IMED: Passo Fundo.

Figueiredo, B. (2001). Perturbações psicopatológicas do puerpério. In M. C. Canavarro (Ed.), Psicologia da gravidez e da maternidade (pp. 161-188). Coimbra: Quarteto.

Goldberg, W. A. (1988). Introduction: Perspectives on the transition to parenthood. In G. Y. Michaels, & W. A. Goldberg (Eds.), The transition to parenthood: Current theory and research (pp. 1-20). Cambridge, UK: Cambridge University Press.

Krob, A. D., Piccinini, C. A., & Silva, M. da R. (2009). A transição para a paternidade: Da gestação ao segundo mês de vida do bebê. Psicologia USP20(2), 269-291. doi:10.1590/S0103-65642009000200008

Mangili, V. R. (2017). Indicadores de depressão pós-parto, ansiedade e estresse maternos: Influências sobre a interação mãe-bebê (Dissertação de Mestrado, Faculdade de Ciências da Universidade Estadual Paulista). Recuperado de https://repositorio.unesp.br/bitstream
/handle/11449/151384/mangili_vr_me_bauru_int.pdf?sequence=4&isAllowed=y

McClain, L., & Brown, S. L. (2016). The roles of fathers’ involvement and coparenting in relationship quali­ty among cohabiting and married parents. Sex Roles, 76, 334-345. doi: 10.1007/s11199-016-0612-3

Minuchin, S. (1982). Famílias: Funcionamento e tratamento. Porto Alegre: Artes Médicas.

Piccinini, C. A., Gomes, A. G., De Nardi, T., & Lopes, R. S. (2008). Gestação e a constituição da maternidade. Psicologia em Estudo13(1), 63-72. doi: 10.1590/S1413-737220080001
00008