Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
Percepção e memória coletiva de uma cidade influenciada pela imigração italiana no Rio Grande do Sul
Bruna Dal Agnol, Caliane Christie Oliveira de Almeida

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


Os mapas mentais são ferramentas eficazes na apreensão das diversas percepções dos usuários sobre um mesmo ambiente. São desenhos, feitos pelo indivíduo, que se baseiam em sua memória relacionada ao lugar, refletindo valores sensoriais adquiridos ao longo da vivência naquele espaço. No presente artigo é abordado o uso dos mapas mentais como instrumento de análise, facilitador da compreensão e da percepção do espaço público, com o objetivo de entender a memória coletiva que a população tem em relação à cidade de Casca, no norte do estado do Rio Grande do Sul. Mais precisamente busca-se, por meio da análise, verificar se há uma ligação entre a comunidade e os edifícios históricos existentes no município, que possui forte influência da colonização italiana na sua arquitetura e na sua morfologia urbana.  A pesquisa apresenta uma análise dos mapas mentais desenvolvidos por pessoas ligadas à cidade, entre elas moradores, ex-moradores e visitantes. Estes desenhos foram gerados em entrevistas com abordagem sócio-interativa, realizadas pela autora no momento das visitas de campo.  Por meio da revisão bibliográfica e dos resultados obtidos na análise, fica evidente a importância dessa ferramenta para o entendimento da percepção do usuário e, mais ainda, o quanto a memória coletiva dessa população está associada aos aspectos culturais herdados da imigração italiana no Estado.

Palavras-chave


Mapas mentais; Casca; percepção; imigração italiana; memória coletiva.