Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
Resultados de uma intervenção breve com acadêmicos com sintomas de fobia social
Daniela Via, Roberta Bilibio Westphalen, Márcia Fortes Wagner

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


Habilidades sociais (HS) podem ser compreendidas como um conjunto de comportamentos de um indivíduo expressados adequadamente, respeitando aos demais, que podem resolver problemas imediatos e minimizar futuros. Fobia Social é caracterizada por um medo acentuado e persistente relacionado a situações sociais ou de desempenho, nas quais o indivíduo sente vergonha, medo de humilhação e, com isso, tende a desenvolver um comportamento de evitação. O estudo visa apresentar os resultados de um treinamento de habilidades sociais (THS), caracterizado como uma intervenção grupal com avaliação pré e pós intervenção, com amostra de 32 acadêmicos com critérios diagnóstico de FS. Foram utilizados os instrumentos: Ficha de Dados Sociodemográficos e Questionário de Ansiedade Social para Adultos (CASO). Da amostra, 71,9% (n=23) sexo feminino e 28,1% (n=9) masculino, com idade 25,75 anos (DP= 8,05). O THS foi realizado em 10 sessões: 1ª) identificação do grau de ansiedade inicial frente ao grupo na régua de 0 a 100 e aplicação dos instrumentos; 2ª) conceitos e sintomas de ansiedade, com técnicas de controle de ansiedade; 3ª) comunicação não verbal com vinheta de filme; 4ª) conceitos de agressividade, passividade, assertividade com debate e exercício interativo; 5ª) como iniciar e manter uma conversação, com foco nos elementos não verbais, livre informação, autorrevelação, elogiar, pedir e expressar opinião, expressar sentimentos positivos; 6ª) defesa dos direitos, com debate dos principais direitos do ser humano; 7ª) expressão dos sentimentos e reações frente situações de estresse, visando o aprendizado de habilidades de conflito; 8ª) pensamento crítico e criativo, tomada de decisões e resolução de problemas, estimulando capacidades de questionamento e reflexão; 9ª) prevenção de recaída; e 10ª) reaplicação dos instrumentos da primeira sessão e feedback final de cada participante. Os resultados indicaram diferenças significativas nos fatores: 1 (Falar em público), 2 (Interação com o sexo oposto), 4 (Expressão assertiva de incômodo, desagrado ou tédio) e 5 (Estar em evidência e fazer papel de ridículo).  Conclui-se que os participantes tiveram melhora significativa dos sintomas e que o THS mostrou ser uma intervenção adequada no tratamento da FS.


Palavras-chave


Habilidades sociais; Relações interpessoais; Transtorno de Ansiedade Social.