Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
MINDFULNESS NA PRÁTICA DA TERAPIA COGNITIVO-COMPORTAMENTAL
Yasmin Damiani dos Santos, Marcia Fortes Wagner

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


Mindfulness refere-se a um estado de atenção plena do momento presente e suas prática tem sido utilizada como instrumento complementar ao processo psicoterapêutico (Girard & Feix, 2016). No contexto da Terapia Cognitivo-Comportamental, possibilita identificar o surgimento de emoções e pensamentos, permitindo que o paciente encontre formas mais assertivas de lidar com os mesmos. O presente estudo tem como objetivo a compreensão dos benefícios do mindfulness no progresso da psicoterapia orientada pela abordagem da TCC. O embasamento teórico desse trabalho foi realizado através das bases de dados do Google Acadêmico e Pepsic. O estado de atenção plena conhecido como mindfulness refere-se ao ato de estar focado no momento atual, sem julgamentos ou pretensão de mudar os acontecimentos. Seu eixo está na observação dos sentimentos e pensamentos que surgem e no desaparecimento dos mesmos, de forma que seja possível não prender-se aos mais estimados e sem tentar expulsar os mais conflituosos (Santos, 2012). Na terapia cognitivo-comportamental, os exercícios de mindfulness propiciam ao paciente reconhecer sentimentos e pensamentos disfuncionais que causam sofrimento e, com isso, encontrar estratégias para gerenciá-los (Girardi & Feix, 2016). Castro (2014) pontua que as técnicas de mindfulness no contexto clínico contribuem para a redução de sentimentos negativos e estresse, bem como ajudam a diminuir os sintomas da síndrome de burnout, depressão, transtornos de ansiedade, transtorno do pânico e transtorno de personalidade borderline, além de auxiliar na redução dos sintomas de pacientes que possuem dores crônicas. Ademais, suas práticas mostram-se eficazes no aumento da atenção e vitalidade, o que pode trazer melhorias para a performance no trabalho. Conclui-se que a utilização das práticas de mindfulness na terapia cognitivo-comportamental é altamente benéfica, estimulando a identificação de pensamentos e sentimentos, o que possibilita respostas mais funcionais aos mais diversos problemas e viabiliza ao paciente a elaboração de estratégias capazes de diminuir sintomas de diversos transtornos, bem como favorece o aumento do nível de atenção e bem estar.

Palavras chave: Mindfulness, Terapia Cognitivo-Comportamental, Transtornos.


Palavras-chave


Mindfulness, Terapia Cognitivo-Comportamental, Transtornos.