Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
AVALIAÇÃO DA ANSIEDADE EM ESCOLARES DO MUNICIPIO DE NOVA ARAÇÁ
Priscila Zanetti, Lilian Rigo

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


Introdução:

A percepção de dor frente ao tratamento odontológico tem aumentado com os motivos de medo e ansiedade. Isso acaba causando um impacto negativo sobre o atendimento odontológico ocasionando fuga de visitas ao dentista.

Objetivo:

O objetivo do presente estudo foi avaliar o grau de ansiedade frente ao tratamento odontológico em escolares do ensino médio entre 14 e 19 anos das escolas do município de Nova Araçá/RS através da escala de Corah e verificar se os alunos frequentam ou não o dentista, o que mais causa medo, se existe ou não satisfação com o dentista.

 

Metodologia:

O presente estudo tem abordagem quantitativa de corte transversal. A amostra é composta de 153 alunos do Ensino Médio de 14 a 20 anos (106 alunos da Escola Estadual de Ensino Médio Luiz Isaias Zucchetti e 47 da Escola Particular Rede Sagrado de Educação - Nova Araçá). Para avaliação do grau de ansiedade foi utilizada a escala de Corah que é composta por 4 perguntas, cada uma com 5 alternativas de respostas, cada alternativa de resposta recebeu uma pontuação (1 a 5). Para interpretação do grau de ansiedade, pacientes cuja soma das respostas foi inferior a 5 pontos, são considerados muito pouco ansiosos; entre 6 a 10 pontos, levemente ansiosos; entre 11 a 15 pontos, moderadamente ansiosos; e somas superiores a 15 pontos, extremamente ansiosos. Além disso foi realizado um questionário para a coleta das variáveis como gênero, idade, se já consultou o dentista, a frequência das consultas, o sentimento na sala de espera e o que mais causa medo.

 

Análise e resultados:

Os dados foram coletados em novembro e dezembro de 2016 e foram analisados por estatística descritiva e inferencial. Obteve-se uma amostra de 153 participantes dos quais 47 eram do sexo masculino (30,7%), e 106 eram do sexo feminino (69,3%). Constatou-se que a maioria dos participante possuem grau levemente ansioso (43,8%). Também observou-se que grande parte já consultou o dentista (98,0%) e que a maioria tem satisfação com dentista (72,5%).

 

Conclusão:

Foi possível concluir que o grau de ansiedade em escolares do município de Nova Araçá é baixo, o que mais causa medo do dentista é sentir dor, a maioria se sente relaxado na sala de espera e os a frequência com que mais os pacientes consultam o dentista é uma vez ao mês ou a cada 3 meses.

 

Referências:

COSTA, A. M. D. D. et al. Ansiedade ao tratamento odontológico em escolares do ensino médio do município de Alfenas-MG. Revista de Periodontia. v. 24, n. 2, p. 13-18, jun. 2014.