Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
GERAÇÃO Y: A TEORIA DA AUTODETERMINAÇÃO E DO BEM-ESTAR SUBJETIVO
Manueli Tomasi, Tainara Dobner, Jandir Pauli

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


Este estudo tem por objetivo descrever a relação entre a motivação e o bem-estar subjetivo dos profissionais pertencentes a Geração Y. Para isso, foi realizada uma pesquisa quantitativa e descritiva, da qual participaram 300 profissionais que responderam a uma survey, baseada na Escala de Motivação no Trabalho - The Motivation at Work Scale (MAWS), e na Escala de Bem-estar Subjetivo (EBES). Os respondentes identificaram com maior grau de importância a motivação para realizar as tarefas com média de 4,19; quando questionados sobre como se sentiam em relação aos aspectos da vida e do trabalho a média maior atingiu 3,77 para a variável ativo, que não se distancia da variável triste com 3,54; em sua maioria os indivíduos da geração Y pesquisados consideram-se satisfeitos, com média de 3,78 e com média de 1,55 consideram que têm mais momentos de tristeza do que alegria na vida.