Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
SATISFAÇÃO NO TRABALHO: VARIÁVEIS SOCIODEMOGRÁFICAS
Alice Cristina Franceschetti, Lívia Maria Bedin

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


A Satisfação no trabalho é um dos componentes do bem-estar no trabalho. Este construto é um dos focos da psicologia positiva que vem ganhando sustentação com as novas formas de gestão nas empresas, buscando proporcionar melhores condições de trabalho, bem como promovendo formas de saúde. O presente trabalho tem como objetivo realizar uma revisão bibliográfica integrativa sobre a satisfação no trabalho, verificando se existem diferenças com relação às variáveis sociodemográficas, como: sexo, idade, tempo de empresa, entre outros. As buscas foram realizadas nas bases de dados BVS-Psi, SciELO e Google acadêmico, utilizando-se os seguintes descritores: “variáveis sócio-demográficas” e “satisfação no trabalho”, revisando artigos em Português e Espanhol dos últimos 6 anos como critérios de inclusão. Os resultados de alguns estudos encontrados apontam que a satisfação no trabalho está relacionada com aspectos que influem no bem-estar mental e físico dos colaboradores junto a uma organização, sendo que pessoas que trabalhavam mais que um turno e tinham renda mais alta sentiam-se mais satisfeitos (Santos et al, 2011). Outros estudos apontam que as mulheres apresentam mais satisfação do que os homens (Ferreira & Lucca, 2015; García, Ruíz, Roche, & García, 2013; Pérez & Maturana, 2011; Saletti-Cuesta, Delgado, Ortiz-Gómez, & López-Fernandéz, 2013). A literatura trouxe também diferenças quanto á idade dos trabalhadores, alegando que pessoas até os 30 anos e acima dos 60 apresentam maior satisfação no trabalho (Both, Nascimento, Sonoo, Lemos, & Borgatto, 2013; García, Ruíz, Roche, & García, 2013). Resultados opostos foram encontrados no estudo de Ferreira e Lucca (2015), sendo que adultos de idade média apresentam mais satisfação no trabalho, e também fazem parte dos preditores de maior satisfação: residir com o companheiro e possuir filhos. Com relação à área de trabalho, Pacheco (2012) verificou que os profissionais que mais demonstraram satisfação com o trabalho foram os da área da medicina e os técnicos de saúde, e os menos satisfeitos foram os profissionais da área da limpeza, seguranças e enfermeiros. Considerando os resultados, evidencia-se a necessidade de aprofundar os estudos acerca das variáveis sociodemográficas em relação à satisfação dos indivíduos inseridos no contexto organizacional, contribuindo para a compreensão do bem-estar no trabalho.

 

Palavras chave: variáveis sociodemográficas, satisfação no trabalho.


Palavras-chave


Satisfação no trabalho; Variáveis sociodemográficas