Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
Florescimento no trabalho
Morgana Zamarchi, Lívia Maria Bedin

Última alteração: 2017-07-26

Resumo


A psicologia positiva surgiu no século XXI com objetivo de estudar e compreender condições de vida saudáveis ao invés de focar apenas na prevenção ou cura de doenças. Dentro desta perspectiva da psicologia positiva, encontramos o termo florescimento no trabalho, o qual relaciona-se a uma condição de prosperidade, felicidade, engajamento, automotivação, satisfação e bem-estar (Luthans, 2011; Luthans & Youssef-Morgan, 2017; Oliveira-Silva, 2015; Paludo & Koller, 2007). Reconhecendo que o termo florescimento tem importância para o contexto do trabalho e que ainda há poucos estudos relacionados a este tema, o objetivo do trabalho foi realizar uma revisão da literatura integrativa, com o intuito de levantar estudos que tratassem do tema florescimento no contexto de trabalho e analisar os resultados obtidos nas mesmas. Foram realizadas buscas nas bases de dados BVS-Psi e Ebsco Host, com o objetivo de localizar artigos que abordassem as temáticas relacionadas ao florescimento no trabalho. Desta forma, foram utilizados os seguintes descritores: “flourishing” e “positive psychology”, “flourishing at work” e “florescimento no trabalho”. Os critérios de inclusão foram: artigos online, de periódicos científicos e revistas acadêmicas, completos e não pagos, publicados entre os anos de 2011 a 2016. Ao todo, foram encontrados 4 artigos, dos quais todos foram selecionados para leitura e análise do método e dos resultados obtidos. Dos quatro estudos analisados, dois se utilizaram de método quantitativo (Araujo Leite et al., 2016; Oliveira-Silva, 2015) e os outros se utilizaram de revisão bibliográfica (Colbert & Purbanova; 2016; Stelzner &Schutte, 2016). O primeiro estudo (Stelzner & Schutte, 2016) fez a compreensão do termo florescimento e sua importância para a engenharia industrial, criando um modelo para auxiliar as empresas a gerirem o conhecimento dos funcionário para o florescimento; o segundo estudo (Araujo Leite et al., 2016) verificou que jovens aprendizes ainda não possuem nível de florescimento completo; o terceiro estudo (Oliveira-Silva, 2015) avaliou a relação entre comportamentos de carreira e florescimento no trabalho e o quarto estudo (Colbert & Purbanova; 2016) demonstrou que relações de trabalho positivas ajudam os empregados a florescerem.
Através dos artigos analisados, percebe-se a importância do termo florescimento no trabalho e observa-se que ainda existem poucos estudos sobre este assunto.


Palavras-chave


Florescimento no trabalho; psicologia positiva