Portal de Conferências da IMED, XI Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e X Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2017

Tamanho da fonte: 
UTILIZAÇÃO DE ALTERNATIVAS INOVADORAS NO GERENCIAMENTO DE COR
Andrê Gazineu, Wayne Rasband

Última alteração: 2017-06-14

Resumo


A cor não existe. É a faculdade que os seres vivos têm de capturar, reter e interpretar certas parcelas ou comprimentos de onda do espectro de luz e caracterizar estes dados ou informações como sendo uma determinada cor, com base em experiências anteriores, aspectos culturais, influência do meio circundante e, claro, limitações físicas e bioquímicas. Seria mais provável assumir que não existe cor, mas “situação de cor”: um conjunto complexo de variáveis que resultará em uma determinada cor, a um determinado observador, uma única vez naquele instante. As diferenças, no entanto, são sutis e o olho humano, uma ferramenta razoavelmente falível e limitada. À ciência de mensuração e estudo da cor, dá-se o nome de colorimetria.

Ao engodo milenar que chamamos de cor, surgiu um negócio bilionário e global. Fabricantes de pigmentos e corantes, instrumentos e máquinas para pintura, lâmpadas, aparelhos de medição, impressoras, referências de cores, softwares de gerenciamento e assim por diante, todos participam deste lucrativo filão.

Tudo isso porque, sabe-se, a cor influencia a todos nós, os consumidores. Uma escolha correta de cores pode ser o fator decisivo na compra de um produto, na lembrança de uma marca, na geração de empatia num primeiro contato e em permanecer ou sair de um estabelecimento. A cor pode afetar o estado físico e o psicológico, influindo na ansiedade, cansaço, estresse e humor, por exemplo. Logo, o poder de definir uma cor corretamente e controlar a sua reprodução, em qualquer meio, tecnologia e local é incomensurável.


Palavras-chave


Colorimetria Inovação Alternativas

Texto completo: PDF