Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Contingências de Reforço na Aprendizagem
Karine Cristina Klann, Vinícius Renato Thomé Ferreira

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


A análise do comportamento (AC) é bastante negligenciada na educação por ser considerada uma abordagem mecanicista e simplista, porém é importante porque mostra como ocorre o processo de aprendizagem do comportamento, inclusive no que tange à educação. Este trabalho consiste numa reflexão teórica a partir de referenciais sobre as contribuições da AC na educação, ressaltando a importância das contingências de reforço no processo da aprendizagem. O reforço consiste em que o ambiente forneça um estímulo como consequência do comportamento que aumenta a probabilidade de que o organismo emita este comportamento no futuro (Skinner, 2003/1953). Existem dois tipos de reforços, o natural, que advém do aprendizado em si (intrínseco) e o arbitrário (extrínseco), que pode ser selecionado pelo educador. Para descobrir quais reforçadores funcionam para cada pessoa, é necessário observar a função, a topografia do comportamento e o contexto no qual o indivíduo está inserido (quais variáveis interferem no comportamento). É necessário identificar o momento certo de reforçar determinado comportamento (Benvenuti et al, 2017) e reduzir ao máximo o controle aversivo do comportamento, que costuma ser muito utilizado em sala de aula, e que gera respostas de ansiedade, medo e comportamentos de fuga e esquiva de estudar nos alunos (Skinner, 1972/1961). Os reforçadores dados pelos professores precisam ser fornecidos imediatamente após a emissão do comportamento desejado, sob risco de reduzir a probabilidade de ser eficaz.  O resultado do modelo atual de ensino, majoritariamente aversivo, é que poucos alunos chegam no estágio onde os reforços são consequências naturais da aprendizagem, e uma mudança com a utilização de mais reforços positivos se faz necessária.


Palavras-chave


Psicologia; Análise do Comportamento; Contingências de Reforço; Reforço; Aprendizagem

Referências


Benvenuti, M. F., de Oliveira, T. P., & Lyle, L. A. (2017). Afeto e comportamento social no planejamento do ensino: a importância das consequências do comportamento. Psicologia USP, 368-377. DOI: https://dx.doi.org/10.1590/0103-656420160135

Skinner, B. F. (1972/1961). Tecnologia do Ensino. (R. Azzi, Trad.). São Paulo: Editora Herder. (Obra original publicada em 1961).

Skinner, B. F. (2003/1953). Ciência e Comportamento Humano. (J. C. Todorov & R. Azzi, Trad.). São Paulo: Martins Fontes. (Obra original publicada em 1953).