Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Paciente-dentista: sua relação cognitiva e afetiva
Michele Natara Portilio, Jandir Paulli, Kenny Basso, Lilian Rigo

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução/Objetivos

Os aspectos da relação paciente-dentista são importantes na percepção de confiança no trabalho desenvolvido. Temas como confiança, afeto e cognição atravessam a prestação deste serviço, considerando a qualidade desta relação na satisfação do paciente com a vida. O objetivo deste estudo foi avaliar o relacionamento paciente-dentista no atendimento odontológico, por meio da análise da confiança estabelecida, do afeto percebido, cognição, intenção de retornar aos próximos atendimentos e da satisfação com a sua vida.

Metodologia

O estudo cuja abordagem é quantitativa do tipo transversal teve uma amostra de 197 pacientes que frequentaram as clínicas de odontologia da Faculdade IMED de agosto a novembro de 2016. Os dados foram coletados através de um questionário auto aplicativo utilizando as escalas de afeto e cognição as quais foram adaptadas de Terres, Santos e Basso (2015), a escala de confiança adaptada de Dagger et al. (2009), a escala de intenção de retorno foi adaptada de Zeithami, Parasuraman e Barry (1996), enquanto a satisfação com a escala de vida foi adaptada de Diener et al. (1985).

Hipóteses/Análises dos dados

H1: Há um efeito positivo de afeto demostrado pelo dentista na confiança do paciente, H2: Existe um efeito positivo na cognição demostrado pelo dentista na confiança do paciente, H3: Há um efeito positivo na confiança do paciente na intensão de retornar àquele dentista, H4: Há um efeito positivo na intensão de retomar àquele dentista sobre a satisfação do paciente com a vida. Os dados foram processados no software SPSS (v. 20.0), para testar as hipóteses utilizou-se a modelagem de equações estruturais com estimação máxima da verossimilhança com o software AMOS (v. 20). A confiabilidade e a validade foram mensuradas através de uma análise fatorial confirmatória e para a verificação da validade discriminante foi utilizada uma análise de correlação.

Resultados

Verificou-se que tanto os aspectos afetivos, quanto cognitivos influenciaram positivamente na formação da confiança do paciente no cirurgião-dentista, suportando as hipóteses H1 e H2. Além disso, suportando a H3, quanto mais confiança o paciente tiver nesse dentista, maiores serão suas intenções de retornar, influenciando positivamente a satisfação do paciente com a vida, suportando a H4. Todo o modelo pode explicar 24% da satisfação com a vida dos pacientes, evidenciando que, a relação entre dentista-paciente é importante para aumentar a satisfação do mesmo com sua vida.

Palavras-chave


Confiança. Afeto. Cognição. Satisfação do Paciente.

Referências


1. Belén RTR, Velásquez C, Andrés R. Patients’ perceptions about dentists a literature review. Odonto. estomatología 2016; 17(27): 15-22.

2. Birkhäuer J, Gaab J, Kossowsky J, Hasler S, Krummenacher P, Werner C. Trust in the health care professional and health outcome: A meta-analysis. Plos One. 2017; Feb 7;12(2): 1-13.

3. Hurts YK, Prescott-Clements, Rannie JS. The patient assessment questionnaire: A new instrument for evaluating the interpersonal skills of vocational dental practitioners. British Dental Journal 2004; 197(8): 497-500.

4. Lazaridou D, Tsiantou D, Coolidge T, Arapostathis KN, Kotsanos N. Predictors of dental pacients’ satisfaction in a greek samples. British Journal of Medicine & Medical Research 2015; 7(6): 470-80.