Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Participação dos pais e cuidadores na terapia cognitivo-comportamental infantil
Alana Catapan, Jamila Boff, Cristina Pilla Della Méa

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


A participação de pais e cuidadores na psicoterapia infantil são de suma importância, pois através deste engajamento se alcança resultados positivos. A complexidade da relação entre pais e filhos evita episódios de comportamentos disfuncionais, dificuldade nos relacionamentos, assim como, o agravamento de transtornos psiquiátricos (Lobo, Katherine, & Ilana, 2011). Existe uma ligação entre os sintomas da criança e a dinâmica familiar, com isto, se faz necessário aprofundar a queixa do paciente com a dinâmica da família (Sei, Souza, & Arruda, 2008). Esse estudo tem como objetivo analisar a influência da participação de pais na terapia cognitivo-comportamental infantil (TCC). Trata-se de um estudo de revisão bibliográfica integrativa. Utilizou-se as bases de dados: LILACS, SciELO, Pepsic, PubMed e Ebscohost, com os descritores: terapia cognitivo comportamental AND infantil AND pais. Incluíram-se artigos dos último 10 anos, em português e inglês e disponíveis on line. Excluíram-se artigos de outras abordagens teóricas e aqueles que focavam na adolescência. Como resultados, encontrou-se 16 artigos na LILACS, 4 na SciELO e 457 artigos na base de dados Ebscohost. Nenhum artigo foi localizado nas bases de dados Pepsic e PubMed. Os artigos foram filtrados e 5 abordaram a temática proposta. Os resultados mostraram que os estudos são bastante heterogêneos quando se trata da influência da participação de pais no atendimento infantil. A complexidade da interação e relação entre pais e filhos interfere significativamente no âmbito familiar, social e individual da criança, influenciando na ocorrência de comportamentos disfuncionais, contribuindo para o surgimento ou agravamento de transtornos psiquiátricos em crianças (Lobo, Katherine, & Ilana, 2011). Os resultados são benéficos quando os pais participam da terapia (Oliveira, Gastaud, & Ramires, 2018). É de suma importância a prática de programas direcionados ao treinamento desses pais, seja com o intuito de diminuir sintomas ou somente buscando a promoção de saúde psíquica nas famílias. Com isso, é possível modificar o contexto em que a criança está inserida, estruturando uma mudança duradoura (Westphal & Habigzang, 2016). Considerando os estudos encontrados, é possível observar a escassez de material relacionado ao tema, o que dificulta uma maior explanação da importância dos pais no tratamento psicoterapêutico infantil.


Palavras-chave


terapia cognitivo comportamental; infantil; pais