Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
A CONQUISTA DAS MULHERES AO DIREITO À EDUCAÇÃO DADOS E ESTATÍSTICAS
Kimberly Farias Monteiro, Caroline Bresolin Maia Cadore, Cristina Carla Rodrigues, Leilane Serratine Grubba

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Por anos, a vida das mulheres foi marcada por episódios de inferiorização e submissão. Às mulheres foram negados direitos que são considerados, atualmente, basilares, como o direito ao estudo, visto que, seus papeis limitavam-se aos cuidados do lar e da família. Diante da negligência de direitos, as mulheres passaram a reivindicar e lutar pelo seu espaço na sociedade. Após anos de lutas, um dos direitos conquistados pelas mulheres foi o direito ao estudo, que, até então, era nulo ou restrito aos ensinamentos domésticos. Assim, o objetivo do presente artigo é analisar o papel da mulher na família patriarcal e o reflexo na sociedade, bem como demonstrar o processo na conquista por direitos, em especial, o direito à educação. A problemática está em averiguar se a partir das conquistas obtidas e direitos alcançados pelas mulheres é possível se constatar que houve aumento no número de mulheres com acesso à educação? Assim, a hipótese a ser apresentada é de que é possível averiguar que o número de mulheres com formação no ensino médio e superior aumentou nos últimos anos, tornando-se possível em decorrência dos direitos conquistados ao longo dos anos e das reivindicações originadas pelas mulheres. O método utilizado para realizar a pesquisa é o dedutivo, sendo que a técnica de pesquisa é bibliográfica.