Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Estudos de revisão integrativa aplicados às pesquisas sobre violência sexual contra crianças e adolescentes
Jussara Besutti, Alana Catapan, Jean Von Hohendorff

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


A revisão integrativa é uma técnica para síntese da literatura em diversas áreas de conhecimento. Caracteriza-se pela aplicação de estratégias de busca, análise crítica e síntese da literatura teórica e empírica, de forma organizada, minimizando possíveis vieses (Zoltowski, Costa, Teixeira & Koller, 2014, Temple University S/N). Apresenta-se como uma possibilidade de estudo da violência sexual contra crianças e adolescentes uma vez que encontram-se dificuldades na busca de participantes para pesquisas empíricas.

As revisões integrativas devem ter uma pergunta de pesquisa e estabelecer os critérios de inclusão dos estudos. A busca e a extração dos artigos deve ser realizada em mais de uma fonte de dados (bases eletrônicas). Confecciona-se um fluxograma indicando o número de artigos incluídos, excluídos e os critérios que foram levados em consideração. Por fim, é realizada a avaliação da qualidade dos estudos por meia da análise do objetivo, ano de publicação, método, periódico e autores. Todo o processo deve ser realizado por dois juízes para fins de confiabilidade e fidedignidade (Galvão, Pansani & Harrad, 2015).

Dois estudos de revisão integrativa estão sendo desenvolvidos. No primeiro objetiva-se conhecer as ferramentas brasileiras de prevenção primária da violência sexual contra crianças. As buscas aos portais CAPES e BVS Saúde compreendeu o período de 1990 a 2018. Quatro artigos foram selecionados para análise na íntegra. Constatou-se que há escassez de publicações científicas sobre o tema, bem como a necessidade de construção de ferramentas de prevenção primária, que sejam abrangentes, inovadoras, e contextualizadas.

O segundo estudo objetiva conhecer os fatores que levam agressores sexuais a cometerem violência sexual contra crianças e adolescentes. A pesquisa será nas bases de dados EBSCO, SciELO, PePSIC, Banco de teses da CAPES, Google Scholar, Index Psi e Lilacs, compreendendo o período entre 2000 e 2018. A revisão integrativa está em fase inicial de coleta de dados, tendo sido definidos os descritores para a busca dos artigos.

Conclui-se que os resultados de estudos de revisão integrativa são obtidos por meio de uma pesquisa formal e demarcada metodologicamente pelo rigor e análise reflexiva. As pesquisas de revisão integrativa problematizam um tema tão complexo como o da violência sexual contra crianças e adolescentes. Apontam lacunas e instigam pesquisadores a desenvolverem novas pesquisas, intervenções e disseminação do conhecimento científico tanto para a academia como à comunidade em geral.


Palavras-chave


Revisão integrativa, violência sexual, crianças e adolescentes

Referências


Referências bibliográficas

Galvão, T. F., Pansani, T. D. S. A., & Harrad, D. (2015). Principais itens para relatar revisões sistemáticas e meta-análises: A recomendação PRISMA. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 24, 335-342. doi:org/10.5123/S1679-49742015000200017

Temple University (S/N). Systematic reviews & other review type. Recuperado em: http://guides.temple.edu/systematicreviews

Zoltowski, A. P. C., Costa, A. B., Teixeira, M. A. P., & Koller, S. H. (2014). Qualidade metodológica das revisões sistemáticas em periódicos de psicologia brasileiros. Psicologia: Teoria e Pesquisa, 30(1), 97-104.