Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Sintomas de ansiedade e estresse em adultos idosos
Cristina Pagliarini, Aline Ortiz Rauber, Vinícius Renato Thomé Ferreira

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução/Objetivo: Eventos que ocorrem na vida de um indivíduo marcam a sua trajetória, sinalizando a passagem de uma etapa para a outra e influenciando nos aspectos individuais e sociais (American Psychiatric Association, 2013).  Embora na população idosa, com mais de 60 anos no Brasil, haja uma variação de comportamento na forma como enfrentam as situações de cada etapa, supõe-se que alguns fatores contribuam no aparecimento de sintomas de estresse e ansiedade. A ansiedade é um estado normal de reações fisiológicas em relação a ameaças, reais ou imaginadas, que prepara o indivíduo para adaptar-se ao novo ou inesperado. O estresse refere-se a reações comportamentais em resposta a pressões do meio que alteram o equilíbrio de um organismo (Doron & Parot, 1991). Metodologia: Este estudo consiste numa revisão não sistemática da literatura sobre ansiedade e estresse em idosos. Hipótese: Sintomas de ansiedade e estresse são mais presentes em adultos idosos. Resultados: A velhice tem apresentado grande parte de seus estudos focados na prevenção de doenças, genética, fatores ambientais, fatores comportamentais e a longevidade, objetivando com que a população idosa tenha uma melhor qualidade de vida (Papalia & Feldman, 2013). Cada um responde de um jeito aos fatores estressores, se o indivíduo idoso não estiver apto para estabilizar a ansiedade ela pode evoluir para o estresse (American Psychiatric Association, 2013). O estresse tem várias causas possíveis, como morte de pessoas próximas e aposentadoria, porém, a forma como cada idoso é tocado pelo estresse, é distinta e se modifica de acordo com resiliência que ele tenha para enfrentar novas fases. A finitude é um dos fatores psicológicos que faz repensar o que se está deixando de legado e pode ser um motivo de inquietude. A identificação dos sintomas de ansiedade e estresse realizada precocemente exige soluções criativas e rápidas. Sendo assim, e o tratamento de tais perturbações demanda de equipes multidisciplinares, assim, desenvolvendo práticas que possibilitem auxilio necessário a adultos idosos que procuram apoio (Papalia & Feldman, 2013). Considerações Finais: Os níveis de estresse e ansiedade em idosos precisam ser conhecidos pois através deles podem ser desenvolvidos programas de aspectos preventivos de doenças, auxiliando preventiva e paliativamente a população de adultos idosos no Brasil.


Referências


American Psychiatry Association. (2013). DSM-V-TR - Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais. 5a. Ed. Rev. Porto Alegre, RS: Artmed.

Doron, R., & Parot, F. (1991). Dicionário de Pscicologia. São Paulo: Ática.

Papalia E. D., & Feldeman R. D. (2013) Desenvolvimento Humano. (12ª Ed.) Porto Alegre: Artmed.