Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Inserção Ecológica em Pesquisas Sobre Violência Sexual Contra Crianças e Adolescentes
Linéia Polli, Sandra Mara Setti, Fernanda Corrêa, Jean Von Hohendorff

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


O objetivo desse estudo é apresentar proposições do uso do método de pesquisa Inserção Ecológica no estudo da violência sexual contra crianças e adolescentes. Esse método deriva da Teoria Bioecológica do Desenvolvimento Humano (TBDH). A TBDH visa o estudo da pessoa em desenvolvimento no contexto em que está inserida, sendo o contexto dividido em micro, meso, exo e macrossistema (Bronfenbrenner, 1996). A TBDH também considera o processo, a pessoa, o contexto e o tempo (modelo PPCT – Processo, Pessoa, Contexto e Tempo). O mecanismo principal do desenvolvimento humano é o processo proximal, que ocorre nas interações em períodos estendidos de tempo (Bronfenbrenner, 2011).

Urie Bronfenbrenner, criador da TBDH, não indicou método científico específico para o estudo do desenvolvimento humano. Pesquisadores brasileiros (Cecconello&Koller, 2003) propuseram o método da Inserção Ecológica. Trata-se de uma proposta metodológica que visa a sistematização do modelo PPCT, tendo como principal objetivo o estudo dos processos de interação entre as pessoas e seus contextos. O/a pesquisador/a deve estar inserido/a no ambiente ecológico que pretende investigar.

Dois estudos visando conhecer o funcionamento de serviços da rede no atendimento de crianças e adolescentes vítimas de violência sexual são propostos. Estes serão realizados em uma Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DECA)  e em uma Estratégia Saúde da Família (ESF), ambas da região norte do Estado do Rio Grande do Sul. As pesquisadoras estarão inseridas nos serviços em períodos regulares de tempo e em interação com as equipes e usuários. Por meio de entrevistas semiestruturadas, observações registradas em diário de campo e análises documentais, pretende-se conhecer a a abordagem utilizada nos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes.

A inserção ecológica foi escolhida como método de pesquisa pois permite ajustar-se a cada realidade pesquisada, buscando compreender as interações entre as pessoas e seus contextos de desenvolvimento. Tendo em vista a complexidade dos casos de violência sexual contra crianças e adolescentes, que requerem intervenção coordenada dos serviços das redes de proteção e de atendimento, a inserção ecológica permite conhecer as estratégias de manejo utilizadas no contexto nas quais ocorrem. A inserção do/a pesquisador/a no contexto permite que as interações sejam estudadas tais como ocorrem, conferindo maior validade ecológica ao conhecimento produzido.


Palavras-chave


Inserção ecológica; Violência sexual; Crianças e adolescentes

Referências


Bronfenbrenner, U. (1996). A ecologia do desenvolvimento humano: experimentos naturais e planejados. Porto Alegre: Artes Médicas.

Bronfenbrenner, U. (2011). A teoria bioecológica do desenvolvimento humano (A. de Carvalho-Barreto, Trad., S. H. Koller, Rev). In U.  Bronfenbrenner. Bioecologia do desenvolvimento humano: Tornando os seres humanos mais humanos (pp. 43-54). Porto Alegre: Artmed.

Cecconello, A. M., &Koller, S. H. (2003). Inserção ecológica na comunidade: Uma proposta metodológica para o estudo de famílias em situação de risco. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16(3), 515-524. doi: 10.1590/S0102-79722003000300010