Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Relato de experiência com grupo para pacientescom transtornos relacionados a substâncias em um hospital psiquiátrico
Meline Paixão Kuntzler, Suélen Lopes Paula, Lilian Carvalho Hoffmann, Luis Henrique Paloski

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução: A experiência com o grupo de pacientes com Transtornos Relacionados a Substâncias (TRS)foi desenvolvida no Estágio Básico I e II no período de agosto de 2017 a junho de 2018 em um hospital psiquiátrico no interior do estado do Rio Grande do Sul. O grupo com esse público é um importante meio terapêutico para o Hospital Psiquiátrico,pois o mesmo proporciona que o paciente tenha um melhor entendimento sobre sua doença, gerando maior autoconhecimento, também trabalha o enfrentamento na prevenção de recaídas e auxilia no processo de reestabelecimento de vínculos sociais,bem como eleva a autoestima e autoconfiança. Objetivo:O grupo tinha o objetivo de esclarecer questões sobre transtornos relacionados a substâncias; introduzir estratégias motivacionais para preparar os participantes à mudança de comportamento; colaborar para que as experiências de cada participante possam contribuir com a construção de um vínculo grupal fortalecendo as relações, a autoestima e promover um acolhimento aos pacientes. Método: Os encontros aconteceram semanalmente em uma sala do hospital. Inicialmente era realizada a apresentação de quem iria coordenar o grupo e após a apresentação dos participantes. Em seguida era apresentado a temática do dia e, posteriormente, o grupodebatia abertamente questões de suas vivências, proporcionando um espaço para cada paciente expor sua história, opiniões e visão e após, o gruporecebia o treinamento de habilidades de enfrentamento para seus problemas atuais. Para ofechamento, eramaplicadas estratégias para a prevenção a recaídas.Conclusões: Observa-se a importância de conduzir grupos com estes pacientes, pois os auxilia na estruturação de estratégias para dar continuidade do tratamento após a alta, proporcionando-lhes um espaço para escuta e acolhimento, a psicoeducação do transtorno, o compartilhamento de experiências através da fala e vivências de cada participante, proporcionando uma visão multifocal e, desta forma possibilitando que os pacientes estejam melhor preparados para as adversidades que enfrentarão e que poderiam tornar-se gatilhos para o uso de substâncias.

 


Palavras-chave


Grupo de Pacientes; Transtornos Relacionados a Substâncias; Hospital Psiquiátrico.