Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
FECHAMENTO DE DIASTEMA COM RESINA COMPOSTA: RELATO DE CASO E ACOMPANHAMENTO POR 2 ANOS
Angelica Maroli, Jader Sebben, Rodrigo Varella de Carvalho

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução: A presença de diastemas pode influenciar negativamente os aspectos estético e psicológico do indivíduo. O fechamen­to de diastemas pode ser realizado de forma min­imamente invasiva, preservando a estrutura den­tal por meio da técnica direta com resinas compostas. Dentre as vantagens pode-se elencar a rapidez para confecção podendo ser feita em apenas uma sessão clínica e facilidade de reparo. Estudos mostram taxas de sobrevivência de até 87% para facetas diretas de resina composta com mais de 3 anos de acompanhamento. Objetivo: O objetivo desse trabalho é relatar um caso de fechamento de diastema de dentes anteriores com o uso de resina composta e acompanhar os resultados imediatamente após a confecção das restaurações e após 2 anos de acompanhamento. Metodologia: Paciente T.B., sexo feminino, 16 anos, compareceu na escola de Odontologia da Faculdade Meridional (IMED) relatando seu descontentamento em relação aos espaços apresentados entre os dentes superiores. No exame clínico inicial, constatou-se a presença de diastemas na região de incisivos centrais e laterais superiores. Na primeira consulta foi realizado o protocolo fotográfico, moldagem e confeccionado modelos de estudo para o enceramento diagnóstico e confecção de um guia com silicone de condensação. Na segunda consulta a cor dos dentes foi registrada, a resina usada foi a Z350(3M/Espe) nas cores A2 (dentina) e A1 (esmalte). As restaurações foram realizadas sob isolamento absoluto do campo operatório dos elementos 14 ao 24. O protocolo adesivo foi realizado e com o guia em posição foi inserida a resina correspondente ao esmalte palatino. Foi verificado se a camada de resina presente estava sem falhas e iniciou-se a inserção de resina composta referente à dentina e ao esmalte. Após a realização das restaurações nos incisivos centrais e laterais foi removido o isolamento absoluto, realizado ajuste da oclusão e das guias, fez-se o acabamento e polimento das restaurações. Decorridos 2 anos a paciente foi marcada para uma consulta de acompanhamento e notou-se a presença de pigmentação e trinca na face palatina do elemento 12. A paciente será então remarcada para fazer o reparo no elemento 12, além de um repolimento das restaurações. Conclusão: A realização de facetas diretas de resina composta para fechamento de diastemas se destaca como uma possibilidade de tratamento conservador, já que não requer preparo dentário. Sendo assim, parece ser uma ótima opção, sobretudo para pacientes jovens.


Palavras-chave


Materiais Dentários, Diastema, Estética Dentária.

Referências


  1. Guerra MLRS, Venâncio GN, Augusto CR. Fechamento de diastemas anteriores com resina composta direta: relato de caso. 2017;27:63-8.
  2. Rodrigue SDR, Argolo S, Cavalcanti NA. Reanatomização dental com resina composta – relato de caso. 2014; 5:182-92.
  3. Schwarz V, Simon LS, Ghiggi PC, Cericato GO, Schwarz V, Ghiggi PC, et al. Fechamento de Diastema com Resina Composta : Relato de Caso. 2013;2(1):26–31.
  4. Lima RBWL, Leite JT, França RM, Brito MCT, Uchôa RC, Andrade AKM. Reabilitação Estética Anterior pela Técnica do Facetamento – Relato de Caso. 2013;17:363–70.