Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
PESQUISA DA INTENÇÃO DE ROTATIVIDADE NO SETOR DE MERCADOS NA CIDADE DE PASSO FUNDO – RS
Geovan Queiroz, Larissa Nardes, Malena Piloni Petri, Shalimar Gallon

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


A rotatividade é um tema que vem gerando discussões e que traz preocupações para gestores, pois afeta a produtividade e a motivações de empregados. Assim, o presente estudo tem o objetivo de analisar os fatores que geram a rotatividade dos empregados no setor varejista de supermercado na cidade de Passo Fundo- RS. Foram analisados fatores que geram rotatividade e turnover, fatores estes que podem ser internos ou externos a organização, assim como se as pessoas estão satisfeitas com seu emprego e qual suas perspectivas em relação ao seu crescimento profissional. O estudo realizado é de natureza descritivo-exploratório com abordagem quantitativa. Quanto aos procedimentos, foi utilizado questionários com perguntas fechadas para verificar qual a sua intenção de desligamento da empresa por parte dos empregados. A amostra final contou com 73 questionários respondidos por empregados de nível operacional de supermercados, possibilitando assim, a identificação das causas da rotatividade. Os resultados encontrados demonstram que as variáveis mais relevantes no processo de rotatividade em supermercados, são os fatores organizacionais. Nesse sentido, as principais causas estão ligadas a salários baixos e funcionários desmotivados pela sobrecarga de atividades, devido a falta de funcionários, dessa maneira, a empresa necessita melhorar o ambiente de trabalho, para que se torne mais agradável para os funcionários e diminua o índice de rotatividade.


Palavras-chave


Rotatividade; Gestão de pessoas; Supermercado

Referências


ALVES, C. O emprego e o trabalho: um cenário em transformação. Disponível em:
<http://carreiras.empregos.com.br /comunidades/rh/artigos/140302-turn-over.shtm> Acesso em: 14 fev. 2018.

 

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE SUPERMERCADO, ABRAS. Departamento de economia e pesquisa. São Paulo, 2016. Disponível em: <http:// www.abras.com.br >. Acesso em: 17 abr. 2016.

 

BURBULHAN, F.; ROBERTO, S.; SAYURI, J. Os Funcionários Pedem Demissão: Um Estudo Sobre Rotatividade em Uma Rede de Supermercados. Revista UNOPAR Científica, v. 14, n. 1, p. 93-100, Mar., 2013. p. 93–100, 2013.

 

BRANNICK, J. Decreasing the staggering costs of turnover in your organization. Disponível em: www.brannick.com.>1999. Acesso em: 9 mar. 2016.

 

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. Porto Alegre: Bookman, 2012.

MARRAS, J. P. Administração de recursos humanos: rotatividade turnover. 14.ed. São Paulo: Saraiva, 2011.

 

MENDONÇA, V. Z.; SPIR, B. B. Índices de Absenteísmo e Rotatividade de Pessoal em uma Citrícola no Noroeste Paulista. Interfacehs, v.8, p.102-109, 2013.

 

MOBLEY, W. H. Turnover: causas, consequências e controle. Porto Alegre: Ortz, 1992.

 

PACE, M. Saber Remunerar é Essencial. Disponível em: <http://www.unicainformática.com.
br/conteúdo.asp/conteúdo=10> Acesso em julho 2016.

POMI, R. M. Recursos humanos: mudanças. 2007. Disponível em: http://www.Pesquisa brasileira.com.br.

 

RIBEIRO, A. L. Gestão de Pessoa: a função de recursos humanos. 1.ed. São Paulo: Saraiva, 2005.

 

STRAPASSON, A, M, H.; CONCOLATTO, C, P.; FERREIRA, G, M, V.; Rotatividade de Pessoal: Um estudo de Caso na Agroindústria. In: Rotatividade de Pessoal: Um estudo de Caso na Agroindústria,1,2007, Natal ENCONTRO DE GESTÃO DE PESSOAS E RELAÇÕES DE TRABALHO ANAIS... NATAL: ENGPR,2007.

 

STEWART, R.; VOLPONE, S.; AVERY, D.; McKAY, P. You Support Effects of Diversity and Ethical Climate Perceptions on Turnover Intentions. Journal of Business Ethics, v. 100, p. 581-593, 2011.

 

SPOLADORE, C. R. Z. R.; ARAUJO, I. Custos com rotatividade de pessoal: estudo de caso supermercado guguyy. In: SEMANA ACADÊMICA INOVAÇÃO E SUSTENTABILIDADE, 2014, Faculdade Fatecie, 2014.

 

VANDENBERG, R. J.; NELSON, J. B. Disaggregatng the motves underlying turnover intentons: when do intentons predict turnover behavior? Human Relatons, v.52, p. 1313-1336, 1999.

 

 


Texto completo: PDF