Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
ESTRATÉGIAS PASSIVAS VISANDO MAIOR EFICIÊNCIA ENERGÉTICA NO PROJETO DE EDIFÍCIO DE ESCRITÓRIOS
Marcos Vinicius de Lima, Lauro André Ribeiro, Thaísa Leal da Silva

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


A Eficiência energética nasceu em um contexto de crise e elevações tarifárias, permanecendo atual em razão do sucesso das ferramentas legais e do avanço tecnológico relacionados ao tema. Com o objetivo de aproveitar as condições climáticas locais para gerar maior eficiência energética em uma edificação de escritórios, é apresentado nesse estudo de caso uma edificação modelo que utiliza estratégias de arquitetura passiva. Este projeto foi idealizado para a cidade de Arvorezinha – RS, localizada na zona bioclimática 2, que tem grande amplitude térmica ao longo do ano. O estudo apresenta uma revisão bibliográfica sobre arquitetura passiva e normativas sobre eficiência energética. Com base nisso, as estratégias adotadas foram a flexibilidade de uso, para adaptar-se às constantes variações térmicas, elaborando um projeto de arquitetura com a adoção de estratégias passivas para climatização, iluminação e a integração de sistemas de painéis fotovoltaicos para gerar melhor balanço energético anual ao edifício. Os resultados mostram o potencial das técnicas adotadas, demonstrando que é possível abordar o projeto arquitetônico de edificação de escritórios a partir de estratégias de arquitetura passiva para o local citado.


Palavras-chave


eficiência energética; edificação comercial; arquitetura passiva; projeto arquitetônico

Referências


ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220: desempenho térmico de edificações – Parte 1: definições, símbolos e unidades. Rio de Janeiro, 2005a.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220: desempenho térmico de edificações – Parte 2: métodos de cálculo da transmitância térmica, da capacidade térmica, do atraso térmico e do fator solar de elementos e componentes de edificações. Rio de Janeiro, 2005b.

ABNT – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15220: desempenho térmico de edificações – Parte 3: zoneamento bioclimático brasileiro e estratégias de condicionamento térmico passivo para habitações de interesse social. Rio de Janeiro, 2005c.

ANALYSIS SOL-AR. Software para carta solar e mapeamento de sombras. Laboratório de Eficiência Energética em Edificações, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível para download em: < http://www.labeee.ufsc.br/downloads/softwares/analysis-sol-ar>  Acesso em: 05 de jun. 2018.

BEN 2012 – BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL. Disponível em: <http:/ https://ben.epe.gov.br/downloads/Resultados_Pre_BEN_2012.pdf>  Acesso em: 05 de jun. 2018.

BEN 2016 – BALANÇO ENERGÉTICO NACIONAL. Disponível em: <http:/ https://ben.epe.gov.br/BENRelatorioSintese.aspx?anoColeta=2016&anoFimColeta=2015>  Acesso em: 05 de jun. 2018.

BORGSTEIN, Edward. Edifícios de baixo carbono no Brasil: Aspectos e subsídios para Programas Nacionais. São Paulo: Instituto Clima e Sociedade; 2017 Ago.

BROWN, G. Z.; DEKAY, M. Sol, vento e luz: estratégias para o projeto de arquitetura; tradução Alexandre Ferreira da Silva Salvaterra. – 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2007.

CEBRACE. Cebrace vidros. Disponível em: <http://www.cebrace.com.br> Acesso em: 5 de jun. 2018.

CORBELLA, Oscar; YANNAS, Simos. Em Busca de uma Arquitetura Sustentável para os Trópicos: Conforto Ambiental. Rio de Janeiro: Editora Revan, 2016.

CUNHA, Eduardo Grala da; MELO, Evanisa Quevedo; MASCARÓ, Juan José; VASCONCELLOS, Luciano de; FRANDOLOSO, Marcos Antonio Leite, ZECHMEISTER, Dóris. Elementos de Arquitetura de Climatização Natural: Método projetual buscando a eficiência energética nas edificações. Porto Alegre: Masquatro Editora, 2006.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002.

LAMBERTS. R.; DUTRA. L.; PEREIRA. F. Eficiência Energética na Arquitetura. São Paulo: PW EDITORES, 2014.

LAMBERTS. R.; MACIEL. A. D. Software Sol-Ar 6.2. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina, 2007.

PROCEL – PROGRAMA NACIONAL DE CONSERVAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA. Disponível em: <http://www.procel.gov.br> Acesso em: 8 de Jun. 2018.

PROJETEEE – Projetando Edificações Energeticamente Eficientes. Disponível em: <http://projeteee.mma.gov.br/> Acesso em: 05 de jun. 2018.

ROMERO, Marcelo de Andrade; REIS, Lineu Belico. Eficiência Energética em Edifícios. Barueri: Editora Manole Ltda, 2012.

ZBBR – ZONEAMENTO BIOCLIMÁTICO DO BRASIL. Laboratório de Eficiência Energética em Edificações, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis. Disponível para download em: <http://www.roriz.eng.br/download_6.html> Acesso em: 05 de jun. 2018.


Texto completo: PDF