Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Fatores de sofrimento no trabalho em empresas familiares
JESSICA SCARTEZZINI, VANESSA RISSI

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução/Objetivo: O trabalho favorece as relações sociais exercendo uma contribuição significativa na constituição da subjetividade, proporcionando um espaço na sociedade, e, por meio de seus atributos, concede reconhecimento e identidade ao indivíduo (Anchieta, Galinkin, Mendes, & Neiva, 2011). A partir da importância atribuída ao trabalho na vida dos sujeitos, ele pode ser fonte de sofrimento. A partir desta perspectiva, este trabalho objetivou descrever os fatores de sofrimento no trabalho para funcionários de pequenas empresas familiares. A base teórica do estudo foi a Psicodinâmica do Trabalho (Dejours, 1992). Método: Para tanto, foi realizada uma pesquisa qualitativa, de cunho descritivo e transversal cujo dados foram coletados por entrevistas individuais semiestruturadas, com roteiro orientador, com 12 trabalhadores. As entrevistas foram gravadas em áudio, a partir da autorização dos participantes, expressa pela assinatura no Termo de Consentimento Livre e Esclarecido e transcritas na íntegra a fim de possibilitar a análise de conteúdo. A pesquisa foi aprovada por um Comitê de Ética em Pesquisa. Resultados: Os resultados indicaram os seguintes fatores de sofrimento associados ao trabalho: sobrecarga de trabalho relacionada a informalidade e flexibilidade dos horários, o não cumprimento de tarefas e prazos pela empresa, conflitos da família expostos no ambiente profissional e incompatibilidade entre o desejo de carreira profissional e o ramo de negócios da família. Considerações finais: Há que se considerar que os fatores de sofrimento podem converter-se em adoecimento, comprometendo a saúde dos indivíduos e do negócio familiar, o que exige intervenções para modificar a organização do trabalho.


Palavras-chave


Palavras-chave: sofrimento no trabalho; psicodinâmica do trabalho; empresas familiares

Referências


Referências:

Anchieta, V. C., Galinkin, A. L., Mendes, A. M. B., & Neiva, E. L. (2011). Trabalho e riscos de adoecimento: um estudo entre policiais civis. Teoria e Pesquisa, 27(2), 199-208. doi: 10.1590/S0102-37722011000200007

Dejours, C. (1992). A loucura do trabalho: Estudo de psicopatologia do trabalho. São Paulo, SP: Cortez.