Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NA CIDADE DE PASSO FUNDO: PROJETO DE EXTENSÃO
Giulia Isadora Cenci, Marcella Cherubin, Marcelo Camargo de Assis

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


INTRODUÇÃO

O processo do envelhecimento causa uma série de modificações no sistema sensorial e motor, resultando em uma instabilidade postural que aumenta o risco de quedas na população idosa (MAZO et al., 2007).

OBJETIVOS

Realizar eventos nas praças da cidade de passo fundo com a intenção de instruir tanto os idosos quantos as famílias sobre as medidas que podem ser tomadas para aumentar a segurança dos idosos.

METODOLOGIA

Serão distribuídos panfletos informativos de fácil entendimento aos idosos e às famílias, contendo dicas de autocuidado, a importância de praticar atividades físicas, fatores de risco, além de uma série de dicas com alterações que podem ser feitas na residência para aumentar a segurança do idoso.

ANÁLISE DE DADOS

De acordo com estudos publicados por Siqueira et al. (2007), cerca de 30% dos idosos no Brasil sofrem quedas ao menos uma vez ao ano, sendo que na análise realizada,  12,1%  dos que experimentaram queda tiveram algum tipo de fratura como consequência.

Fornecer dicas de autocuidado aos idosos, informar a família sobre os medicamentos que aumentam o risco de desequilíbrio, mostrar maneiras simples e de baixo custo de se adaptar o ambiente para facilitar a locomoção, são ações preventivas voltadas a educar e orientar os indivíduos de idade mais avançada, assim como suas famílias, que atuam de forma eficiente para minimizar os riscos (CHRISTOFOLETTI, 2006).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

A incorporação de hábitos simples, porém eficazes, proporcionam uma melhoria na qualidade de vida dos indivíduos idosos, população que aumenta cada vez mais.


Palavras-chave


quedas; idosos;risco de quedas

Referências


CHRISTOFOLETTI, Gustavo. Risco de quedas em idosos com doença de Parkinson e demência de Alzheimer: um estudo transvelsal.Revista Brasileira de Fisioterapia: Rev. bras. fisioter., São Carlos, v. 10, n. 4, p.429-433, dez. 2006.

MAZO, Giovana et al. Condições de saúde, incidência de quedas e nível de atividade física dos idosos. Revista Brasileira de Fisioterapia, São Carlos, v. 11, n. 6, p.437-442, dez. 2007.

SIQUEIRA, Fernando V et al. Prevalência de quedas em idosos e fatores associados. Revista de Saúde Pública. Pelotas, v. 41, n. 5, p.749-756, 2007.