Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
USO DE MÉTODOS E FERRAMENTAS DE AVALIAÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO
Naísa Maria Becchi Saraiva, Marina Bernardes, Grace Tibério Cardoso

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Este artigo aborda a aplicação de métodos e ferramentas de Avaliação Pós-Ocupação (APO). O objetivo desta pesquisa foi investigar a aplicação destas ferramentas e explorar de que forma estão sendo utilizadas, visando assim, aprimorar o processo de APO, tendo como enfoque o Conforto Ambiental e a Ergonomia. O método empregado nesta pesquisa é uma revisão sistemática a partir de estudos recentes publicados em um encontro acerca do tema proposto. Foi possível constatar que a aplicação da APO vêm contribuindo com resultados que auxiliam no processo de identificação de possíveis melhorias ao ambiente construído. Evidenciou-se também, que a APO contribui principalmente para avaliar a edificação de forma abrangente, ou seja, não apenas beneficiando aspectos técnicos, mas também referentes ao bem-estar humano, destacando-se a importância da inter-relação pessoa-ambiente.

Palavras-chave


Avaliação Pós-Ocupação;Métodos e ferramentas de APO; Conforto ambiental; Ergonomia.

Referências


OLIVEIRA, Gilberto Rangel; MONT’ALVÃO, Claudia Renata. Metodologias utilizadas nos estudos de Ergonomia do Ambiente Construído e uma proposta de modelagem para projetos de Design de Interiores. Estudos em Design, v. 23, n. 3, p. 150-165, 2015.

 

IIDA, Itiro Ergonomia. projeto e produção. São Paulo: Editora Edgard Blucher, 2005.

CARDOSO, G.; VISENTIN, T.; BENINCÁ, L.; NECKEL, A. Post-Occupancy Evaluation for a school building: a case study in the city of Passo Fundo/RS – Brazil. In: PASSIVE AND LOW ENERGY ARCHITECTURE, DESIGN TO THRIVE, 2017, Edinburgh, Scotland. Anais... Edinburgh: PLEA, 2017.

 

VISENTIN, TALES GONÇALVES; CARDOSO, Grace Tibério; BENINCÁ, LETIANE. Arquitetura Bioclimática: Avaliação Pós Ocupação (APO) em escola pública estadual. REVISTA DE ARQUITETURA IMED, v. 6, p. 49-61, 2017.

 

SARAMAGO, Rita de Cássia Pereira; VILLA, Simone Barbosa; ÁVILA, Thaís Castro A. SISTEMA DE AVALIAÇÃO DA QUALIDADE DA HABITAÇÃO EM MEIOS DIGITAIS: ABORDAGEM AMBIENTAL.

 

BRAGA, Yasmin; STENSJÖ, Iraci. ANÁLISE DO CONFORTO TÉRMICO DO CONJUNTO HABITACIONAL GRANJA DE FREITAS III POR AVALIAÇÃO PÓS-OCUPAÇÃO.

 

TREICHEL, Suzana Zehetmeyer; DA SILVA, Antonio César Silveira Baptista. AVALIAÇÃO DA PERCEPÇÃO DOS USUÁRIOS EM RELAÇÃO AO CONFORTO TÉRMICO DAS CASAS POMERANAS DO 4 DISTRITO DE SÃO LOURENÇO DO SUL, RIO GRANDE DO SUL.

 

KUBA, Jakelline; BOGO, Amilcar J. CARACTERIZAÇÃO ARQUITETÔNICA DA TIPOLOGIA HABITACIONAL VERTICAL EM BLUMENAU SC-AVALIAÇÃO FUNCIONAL E DE CONFORTO AMBIENTAL.

 

MELO, Natália Rosa; NEVES, Thayssa Barbosa da Silva. ANÁLISE COMPORTAMENTAL DE USUÁRIOS NO AMBIENTE CONSTRUÍDO: ESTUDO DE CASO EM UM ESCRITÓRIO SITUADO NA CIDADE DE FLORIANÓPOLIS/SC.

 

BAGNATI, Mariana Moura; FEDRIZZI, Beatriz Maria. A PERCEPÇÃO DE DEPENDENTES QUÍMICOS EM FASE DE REABILITAÇÃO SOBRE O PÁTIO DA INSTITUIÇÃO: UMA AVERIGUAÇÃO SOBRE VEGETAÇÃO E ESPAÇOS ABERTOS.

 

FERNANDES, Rafael Oliveira; DE ARAÚJO, Bianca Carla Dantas. DESEN. PACA: JOGO PARA AUXÍLIO NO DESENVOLVIMENTO DE PROGRAMAÇÃO ARQUITETÔNICA DE CONFORTO AMBIENTAL.

 

BARROS, Dominique; ARAÚJO, Virgínia; ELALI, Gleice. PROCESSO PROJETUAL DE UMA RESIDÊNCIA UNIVERSITÁRIA UTILIZANDO O CONCEITO DE INTERATIVIDADE.

 

DE SOUZA, Washington Batista; MATOSKI, Adalberto. CARACTERIZAÇÃO DE FUNGOS EM ALVENARIAS-ESTUDO DE CASO EM HOSPITAL.


Texto completo: PDF