Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
O PAPEL DO GESTOR EM RELAÇÃO AO IMPACTO DO ALCOOLISMO NO DESEMPENHO DAS ATIVIDADES LABORAIS NAS EMPRESAS DO RAMO DA CONSTRUÇÃO CIVIL EM PASSO FUNDO/RS
Jaqueline Garcia Fisch, Cíntia Sonale Rebonatto, Carlos Costa

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


No Brasil, a magnitude dos problemas em torno do alcoolismo pode ser percebida pela edição de inúmeras medidas legais que restringem a venda e o uso de bebidas alcoólicas. Nessa direção, este estudo descritivo, de natureza quantitativa, foi realizado com o objetivo de verificar de que maneira atuam os gestores do ramo da construção civil do município de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, frente aos colaboradores alcoolistas. A coleta de dados foi realizada por meio de questionário com 36 questões, aplicado a uma amostra de 50 gestores. Constatou-se que os casos de alcoolismo, bem como seus reflexos, são uma realidade nas empresas da construção civil. Assim, os gestores reconheceram a importância da temática, no entanto, as políticas e ações preventivas são ainda escassas no referido ambiente laboral, local favorável para ações de prevenção ao alcoolismo.



Palavras-chave


Consumo bebidas alcoólicas. Alcoolismo. Construção Civil. Gestão. Trabalhador alcoolista.

Referências


ABEAD - Associação dos Estudos do Álcool e Outras Drogas. Relatório Anual. 2017

AMES, M.; BENNETT, J. Prevention interventions of alcohol problems in the workplace. Alcohol research & Health, v. 34, n. 2, p. 175–87, 2011.

BASTÚS, N. Problemas laborales asociados al consumo de alcohol. Adicciones, v. 14, n. 1, p. 239-249, 2002.

BRASIL - Ministério da Saúde do Brasil. Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil. Doenças relacionadas ao trabalho: manual de procedimentos para os serviços de saúde.  Ministério da Saúde do Brasil, Organização Pan-Americana da Saúde no Brasil – Brasília: Ministério da Saúde do Brasil, 2001.

BRITES, R.; ABREU, A.; PINTO, J. Prevalência de alcoolismo no perfil das aposentadorias por invalidez dentre trabalhadores de uma universidade federal. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 67, n. 3, p. 373-380, 2014.

CARRILLO, L.; MAURO, M. Uso e abuso de álcool e outras drogas: ações de promoção e prevenção no trabalho. Revista Enfermagem UEFJ. v. 11, n. 1, p. 25-33, 2003.

CERVO, A.; BERVIAN, P. Metodologia científica. 5.ed. São Paulo: Prentice Hall, 2002.

COELHO, E.; COSTA, C. consumo de álcool e seus reflexos na atividade laboral: como as organizações enfrentam o problema. In: X Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e IX Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação, 2016, Passo Fundo. Anais... Passo Fundo: IMED, 2016.

COSTA, E.; VIANA, D.; SILVA, A.; MACHADO, R. Padrão de uso de álcool e outras drogas por trabalhadores de obras públicas. Revista Baiana de Enfermagem, v. 27, n. 1, p. 76-81, 2013.

CRUZ, C. Alcoolismo no trabalho em debate. Direito UNIFACS – Debate Virtual, n. 149, 2012.

FELIPPE, T.; SANTOS, M. Uso abusivo de etílicos por servidores militares: abordagem de recuperação em centro de dependência química. Revista Cuidarte, v. 5, n. 2, p. 806- 812, 2014.

FERNANDES, M.; SANTOS, F.; SANTANA, K.; TELES, W.; SILVA, C. Consumo de álcool e sua influência no ambiente de trabalho da construção civil. Scire Salutis, v. 4, n. 2, p. 28-46, 2014.

GAVIOLI, A.; MATHIAS, T.; ROSSI, R.; OLIVEIRA, M. Risco relacionado ao consumo de drogas em homens trabalhadores da construção civil. Acta Paulista de Enfermagem, v. 27, n. 5, p. 471-478, 2014.

GAVIOLI. A. Risco relacionado ao consumo de drogas de abuso entre trabalhadores da construção civil: avaliação pelo método do rastreamento. 2012. 119 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Departamento de Enfermagem, Universidade Estadual de Maringá, 2012.

GOMÉZ-AGUILAR, J.  Analytical and Numerical solutions of a nonlinear alcoholism model via variable-order fractional differential equations. Physica A: Statistical Mechanics and its Applications, v. 494, n. 1, p 52-75, 2017

HOLANDA, M. Programas de apoio a usuários de álcool na construção civil: um estudo em empresas de Mossoró – RN. 2013, 36 f. Monografia (Graduação em Ciência e Tecnologia) – Universidade Federal Rural do Semi-Árido -, Mossoró, 2013.

KARAM, H. Alcoolismo no trabalho. Caderno Saúde Pública, v. 21, n. 4, p. 1293-1295, 2004.

LARANJEIRA, R. ; PINSKY, I.;  SANCHES, M.; ZALESKI, M.; CAETANO, R. Padrão de uso de álcool em brasileiros adultos. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 32, n. 3, p. 231-241, 2009.

MALHOTRA, N. Pesquisa de marketing: uma orientação aplicada. 6.ed. Porto Alegre: Bookman, 2012.

MANGADO, E.; GÚRPIDE, A. Consumo de alcohol y otras drogas em el medio laboral. Medicina y Seguridad del Trabajo, Madrid, v. 54, n. 213, p. 25-32, 2008.

MATTAR, F. Pesquisa de marketing. 4.ed. São Paulo: Atlas, 2007.

MELONIA. J.; LARANJEIRA, R. Custo social e de saúde do consumo do álcool. Revista. Brasileira de Psiquiatria, v. 26, n. 1, p. 7-10, 2004.

MORAES, E.; CAMPOS, G.; FIGLIE, N.; LARANJEIRA, R.; FERRAZ, M. Conceitos introdutórios de economia da saúde e o impacto social do abuso de álcool. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 28, n. 4, p. 321–325, 2006.

MORAES, G.; PILATTI, L. Alcoolismo e as organizações: por que investir em programas de prevenção e recuperação de dependentes químicos. In: Encontro Nacional de Engenharia de Produção, 24., 2004, Florianópolis. Anais... Florianópolis: ABEPRO, 2004

MURTA, E. A relação entre a atividade de coleta de lixo domiciliar de Belo Horizonte e o alcoolismo nos coletores: um estudo de caso. 2007. 131 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal do Estado de Minas Gerais - Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas - Programa de Pós-Graduação em Psicologia, 2007.

NASCIMENTO, E. ; NASCIMENTO, E.; SILVA, J. Uso de álcool e anfetaminas entre caminhoneiros de estrada. Revista Saúde Pública, v. 41, n. 2, p. 290-293, 2007.

OIT - Organização Internacional do Trabalho. Problemas ligados ao álcool e a drogas no local de trabalho: Uma evolução para a prevenção (edição portuguesa de 2008). Genebra: Autoridade para as Condições do Trabalho, 2008.

OMS – Organização Mundial da Saúde. Global status report on alcohol and health 2014. Switzerland: Avenue Appia, 2014.

OPAS - ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE. Regional Status Report on Alcohol and Public Health in the Americas. 2016. Disponível em: < https://www.paho.org/hq/dmdocuments/2015/Alcohol-report2015-Factsheet-POR.pdf>. Acesso em: 29 mar. 2018.

RAMOS, T. Alcoolismo: trabalho e violência. Um estudo a partir do programa de atendimento ao trabalhador alcoolista da UFRJ. 2002. 116 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Escola Nacional de Saúde Publica – ENSP, 2002.

REIS, G.; GÓIS, H.; ALVES, M.; PARTATA, A. Alcoolismo e seu tratamento. Revista Científica do ITPAC, v. 7, n. 2, p. 1-11, 2014.

ROSSATO, V.; KIRCHHOF, A. O trabalho e o alcoolismo: estudo com trabalhadores.  Revista Brasileira de Enfermagem, v. 57, n. 3, p. 344-9, 2004.

RUNDIO, A. Understanding Alcoholism. Nursing Clinics of North America. v. 48, n. 3, p. 385-390, 2013

SCHROEDER, C.; HOCH, V. O uso de bebidas alcoólicas entre funcionários/ colaboradores de empresas. Unoesc & Ciência, v. 1, n. 2, p. 169-182, 2011.

SEBRAE - Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas. Ambiente digital dos pequenos negócios. 2016. Disponível em: <http://ambientedigital.sebrae-rs.com.br/> Acesso em: 15 Abr. 2017.

SENAD - SECRETARIA NACIONAL ANTIDROGAS.  Prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente de trabalho: conhecer para ajudar. 2008. Disponível em: < https://www.uniad.org.br/images/stories/arquivos/Curso_SEAD_UFSC_SENAD_SESI.pdf>. Acesso em: 29 mar. 2017.

SESI – Serviço Social da Indústria. Prevenção ao uso de álcool e outras drogas: Observatório de Indicadores de Desenvolvimento – SESI/PR. 2016. Disponível em: < http://relatoriosdinamicos.com.br>. Acesso em: 29 mar. 2017.

SESI – Serviço Social da Indústria.  Segurança e saúde na indústria da construção no Brasil: diagnóstico e recomendações para a prevenção dos acidentes de trabalho. Brasília, 2015. Disponível em: <http://arquivos.portaldaindustria.com.br/app/conteudo_18/2014/07/28/6973/ESTUDODESST2015.pdf?r=0.625125239368>. Acesso em: 28 mar. 2017

SILVA, A.; BEMFICA, G. Segurança no trabalho na construção civil: uma revisão bibliográfica. Revista Pensar Engenharia, v. 1, n. 1, 2015.

SILVA, F. A relação entre o uso do álcool e o trabalho na construção civil. 2006. 169 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia) – Universidade Federal de Minas Gerais, 2006.

SILVEIRA, C.; ROBAZZI, M.; WALTER, E.; MARZIALE, M.  Acidentes de trabalho na construção civil identificados através de prontuários hospitalares. Revista Escola de Minas, v. 58, n. 1, p. 39-44, 2005.

SOARES, J.; FERREIRA, C. The Relationship  Between  Alcoholism  and Work:  Contributions  on the State of  the Art. Revista Trabalho (En)Cena, v. 2, n. 2, 2017.

TECCO, J.; JACQUES, D.; ANNEMANS, L. The Cost of Alcohol in the Workplace in Belgium. Psychiatria Danubina, v. 25, n. 2, p. 118-123, 2013.

TRAJANO, J.; SOUZA, A. Uso abusivo e dependência de álcool em trabalhadores da construção civil: ações desenvolvidas pelo centro de referência em saúde do trabalhador/ regional Uberaba. In: X Seminário do Trabalho – trabalho, crise e políticas sociais na América Latina, 10, 2016, Uberaba. Anais... Uberaba: UNESP, 2016

VIEIRA, D.; RIBEIRO, M.; LARANJEIRA, R. Evidence of association between early alcohol use and risk of later problems. Revista Brasileira de Psiquiatria, v. 29, n. 3, p. 222-227, 2007.

ZAGO, V.; CAETANO, F.; MELO, F.; SOUZA, T.; MORAES, F. A segurança do trabalho na construção civil. In: Encontro de Tecnologia da Uniube, 8, 2014, Uberaba. Anais... Uberaba: UNIUBE, 2014.


Texto completo: PDF