Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Relato de experiência: Grupo de trabalho de self para terapeutas
Mayara Quevedo Ribeiro, Danielle Doss Damo, Rosângela Andreoli Ortiz, Cláudia Mara Bosetto Cenci

Última alteração: 2018-08-31

Resumo


A pessoa do terapeuta é um dos principais recursos na psicoterapia sistêmica, requerendo constantes reflexões para seu autoconhecimento. O trabalho de self do terapeuta envolve reconhecer suas limitações e potencialidades para permear a interação terapeuta-cliente. O objetivo deste estudo foi compreender, a partir da experiência vivenciada, como se dá o trabalho de self para terapeutas em grupo e estabelecer ponderações e reflexões sobre sua importância e contribuições para a prática clínica. Possui um delineamento qualitativo, exploratório e narrativo, partindo do relato da experiência de participação em um grupo de trabalho de self para terapeutas. A experiência descrita neste trabalho se refere a seis encontros, sendo que o grupo será finalizado após totalizar dez encontros. A experiência é relatada e compreendida com base no aparato conceitual da teoria sistêmica. Constatou-se que o trabalho de self grupal favorece identificar padrões emocionais e de funcionamento, os quais o terapeuta imprime no sistema terapêutico.


Palavras-chave


terapeuta sistêmico; trabalho de self; autoconhecimento

Referências


Bahamondes, F. O., González, A. M., Diaz, A. M., Watson, F. I., Brüggemann, V. M. & Verdugo. M. R. (2015). La persona del terapeuta y su origen: La inclusión de las familias de origen y su impacto en el desarrollo del self profesional de los terapeutas del Instituto Humaniza Santiago. Vincularte Revista Clínica y Psicosocial, 1(1), (19-54).

Boscolo, L. & Bertrando, P. (2013). Terapia sistêmica individual: Manual prático na clínica. Belo Horizonte: Artesã.

Bowen, M. (1978). Family therapy in clinical practice. New York: Jason Aronson.

Bustos, D. M. (2005). O psicodrama: aplicações da técnica psicodramática. São Paulo: Summus.

Canevaro, A., Abeliuk, Y., Condeza, M., Escala, M. A., Garcia, G. & Montes, J. (2016). El nacimiento del terapeuta sistémico: El trabajo directo con las familias de origen de los terapeutas en formación. Revista de Psicoterapia Relacional e Intervenciones Sociales, 1(34), 127-144.

Cramer, C. T. (2006). Ecos da vida: A construção do terapeuta de famílias: a prática clínica sob a lente das vivências na família de origem (Master's thesis). Retrieved from https://tede2.pucsp.br/handle/handle/15536

Garzón, D.I. (2008). Autorreferencia y estilo terapéutico: su intersección en la formación de terapeutas sistémicos. Revista Diversitas - Perspectivas em Psicología, 4(1), 159-171.

Grandesso, M. (2006). Sobre a reconstrução do significado: uma análise epistemológica e hermenêutica da prática clínica. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Kichler, G.F. & Serralta, F.B. (2014). As implicações da psicoterapia pessoal na formação em psicologia. Psico PUCRS, 45(1), 55-64.

Lipman, L. (2008). O sistema triádico: sociometria, psicodrama e psicoterapia de grupo uma revisão. In J. Gershoni. Psicodrama no século 21: aplicações clínicas e educacionais. (pp. 23-33). São Paulo: Ágora.

Macedo, L.R. & Silveira, A.C. (2012). Self: Um Conceito em Desenvolvimento. Paidéia, 22(52), 281-289.

Marin, A.H. & Oliveira, D.S. (2012) Ciclo de vida da família e do terapeuta. Pensando Famílias, 16(1), 217-228.

Mendonza, M. L. A., Bezzenberger, R. M. J., & Chenevard, C. L. (2012). Formación de terapeutas en un programa de especialización en terapia familiar sistémica. Psicologia em Estudo, 17(2), (183-193).

Monteiro, R. F. (1993). Técnicas históricas: Teatro da improvisação (espontâneo) e jornal dramatizado (jornal vivo). In R. F. Monteiro. Técnicas fundamentais do psicodrama (pp. 11-16). São Paulo: Ágora.

Osório, L. C. (2008). Grupoterapias: abordagens atuais. Porto Alegre: Artmed.

Szmulewicz, T. (2013). La persona del terapeuta: eje fundamental de todo processo terapêutico. Revista Chilena de Neuro-Psiquiatría, 51(1), 61-69.

Zimerman, D. E. & Osório, L. C. (1997). Como trabalhamos com grupos. Porto Alegre: Artmed.


Texto completo: PDF