Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
AGRICULTURA URBANA: TIPOLOGIAS CONSTRUTIVAS E A INFRAESTRUTURA DA CIDADE
Laura Campagna Basso, Lauro André Ribeiro

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


De acordo com dados da Organização das Nações Unidas (ONU), é previsto que em 2030, 60% da população mundial esteja ocupando as cidades. A urbanização desenfreada, sem mecanismos regulatórios e de controle, trouxe consigo enormes repercussões na saúde da população. Neste sentido, a agricultura urbana tem sido reconhecida por sua contribuição para a sustentabilidade urbana, devido à capacidade de integrar aspectos socioculturais, econômicos e ambientais. O presente artigo tem como objetivo uma reflexão sobre o crescimento da população urbana mundial das últimas décadas, de suas infraestruturas atuais e a necessidade de identificar modelos de tecnologias construtivas para a produção de alimentos em centros urbanos consolidados. Como embasamento teórico utilizou-se de pesquisa bibliográfica, de caráter descritivo exploratório, sobre as tipologias construtivas de hortas urbanas e buscou-se a discussão do tema propondo uma refuncionalização dos espaços no âmbito urbano, de vizinhança e local. As tipologias construtivas de horta urbana que se destacam são hortas horizontais, verticais, suspensas, protegidas e hidropônicas. Considerando o que foi exposto, pode-se afirmar que as diversas técnicas de agroecologia elencadas neste artigo são uma resposta arquitetônica de pequena escala para restaurar o tecido urbano, o bairro, as edificações e nós mesmos.

Palavras-chave


agricultura urbana; tipologias construtivas; hortas urbanas