Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
Funções Executivas de Pacientes Internados em Hospital Psiquiátrico por Transtornos Relacionados a Substâncias
Daiane Bottin, Camila Rosa de Oliveira, Luis Henrique Paloski

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


Introdução: As funções executivas são habilidades desenvolvidas em várias áreas cerebrais, uma auxiliando no funcionamento da outra por meio de vias de conexões neuronais. Os pacientes que fazem uso de substâncias psicoativas (SPA) podem apresentar prejuízos executivos, desenvolvendo alterações no comportamento, no funcionamento emocional e de personalidade (Diehl, Cordeiro, & Laranjeira, 2011). Ressalta-se que a sintomatologia é singular de acordo com substância, organismo e quantidade (da Silva, Manrique, & Santos, 2017; American Psychiatric Association [APA], 2014). Objetivo: Investigar as funções executivas de pacientes com Transtornos Relacionados a Substâncias (TRS) em um hospital psiquiátrico do estado do Rio Grande do Sul. Método: Trata-se de um estudo transversal, exploratório e de cunho quantitativo. Os participantes foram 33 adultos com idade mínima de 20 anos e máxima de 58 anos, sendo 25 homens e 08 mulheres. Os instrumentos utilizados foram: Fluência Verbal Semântica (FVS) e Fluência Verbal Fonêmica (FVF). Análise de dados: Foi utilizado o pacote estatístico Statistical Package for the Social Sciences (SPSS, versão 23) para Windows. Foram realizadas análises descritivas de média, desvio-padrão e frequência. O cálculo para a classificação do desempenho como “adequado” ou como “deficitário” foi realizado por meio do Escore Z. Procedimentos éticos: O presente estudo fez parte do projeto guarda-chuva “Perfil neuropsicológico e de características de personalidade em transtornos relacionados ao uso de substâncias e transtornos de personalidade” aprovado pelo Comitê de Ética da Faculdade Meridional IMED, Campus de Passo Fundo, sob o CAAE: 61569416.1.0000.5319. Resultados: Os participantes do estudo nos instrumentos de tarefas de fluência verbal tiveram resultados deficitários. Na tarefa de fluência verbal fonêmica 66,7% apresentaram o desempenho comprometido e na tarefa de fluência verbal semântica 15,2%, apresentaram o desempenho abaixo do esperado para a sua idade.  Discussão: Observou-se dados semelhantes na pesquisa de Cunha, Nicastri, Gomes, Moino e Peluso (2004), reforçando prejuízos na expressão verbal de indivíduos com TRS. A hipótese central para explicar este achado é de que o uso de substâncias consiste em uma variável preditiva para os déficits em funções executivas apresentados pelos participantes (Freitas et al,. 2016; Sá, 2017; Vergara-Moragues et al., 2017).


Palavras-chave


Funcionamento Executivo, Hospital Psiquiátrico, Transtornos Relacionados a Substâncias.

Referências


American Psychiatric Association. (2014). Manual Diagnóstico e estatístico de transtornos mentais (5a ed.). Porto Alegre, RS: Artmed.

Cunha, J. C., Nicastri, S., Gomes, L. P., Moino, R. M., & Peluso, M. A. (2004). Alterações neuropsicológicas em dependentes de cocaína/crack internados: dados preliminares. Revista Brasileira de Psiquiatria, 26(2), 103-6. doi:10.1590/S1516 44462004000200007

da Silva, N. M. F., Manrique, L. G., & Santos, R. M. G. (2017). Transtornos Mentais Relacionados a Substâncias Químicas. Revista de Estudos Jurídicos, 1(27), 218-232. Recuperado de http://www.actiorevista.com.br/index.php/actiorevista/issue/view/6

Diehl, A., Cordeiro, D. C., Laranjeira, R. (2011). Depêndencia Química: Prevenção, tratamento e políticas públicas (1a ed.). Porto Alegre, RS: Artemed.

Freitas, E. R., Joaquim, R. M., Tabaquim, M. D. L. M., & Camargo, A. P. (2016). Avaliação neuropsicológica das funções executivas de mulheres em estado de dependência química. Archives of health investigation, 5(1), 14-24. doi:10.21270/archi.v5i1.1296

Sá, T. N. de. S. (2017). Avaliação das funções executivas em adictos internados nas comunidades terapêuticas do município de Porto Velho – RO (Dissertação de Mestrado, Universidade Federal de Rondônia, Porto Velho, Brasil). Recuperado de http://www.ri.unir.br/jspui/handle/123456789/1605

Vergara-Moragues, E., Verdejo-García, A., Lozano, O. M., Santiago-Ramajo, S., González-Saiz, F., Espinosa, P. B., & García, M. P. (2017). Association between executive function and outcome measure of treatment in therapeutic community among cocaine dependent individuals. Journal of Substance Abuse Treatment, 78, 48-55. doi: 10.1016/j.jsat.2017.04.014