Portal de Conferências da IMED, XII Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e XI Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação IMED 2018

Tamanho da fonte: 
PLANO DE MOBILIDADE URBANA: UMA AVALIAÇÃO DAS DIRETRIZES VOLTADAS A MOBILIDADE URBANA SUSTENTÁVEL EFICIENTE
Guilherme dos Passos Morigi, Regis A. Grando, Fabio Remedi Trindade, Alcindo Neckel, Thaísa Leal da Silva

Última alteração: 2018-09-03

Resumo


O planejamento da mobilidade urbana sustentável e eficiente nas cidades possibilita repensar vias urbanas e sugerir possíveis meios de transporte alternativos que possam auxiliar melhorias urbanas voltadas a qualidade de vida populacional. O objetivo geral do manuscrito é avaliar o plano de mobilidade urbana de Passo Fundo/RS - Brasil e suas diretrizes com intuito de propor possíveis adaptações da rede voltadas a melhorias no modal de transporte coletivo. Metodologicamente realizou-se a descrição do cenário atual descrito no plano de mobilidade urbana da cidade de Passo Fundo/RS e suas prerrogativas voltadas a projeção de uso do transporte coletivo, em seguida baseando-se em Rybarczyk e Wu (2010), Dondi et al. (2011), Marx et al. (2015) e Guerra et al. (2016) foi possível sugerir melhorias no uso do modal. Os resultados obtidos demonstram as potencialidades e fragilidades do plano de mobilidade de Passo Fundo, além de apresentar proposições de melhorias no sistema de transporte público de passo fundo a serem aplicadas ao espaço público em estudo.


Palavras-chave


Mobilidade; Transporte Coletivo; Sustentabilidade Local.

Referências


ALBUQUERQUE, Mariana Vercesi de et al. REGIONAL HEALTH INEQUALITIES: CHANGES OBSERVED IN BRAZIL FROM 2000-2016. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 1055-1064, abr.  2017.   Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232017002401055&lng=en&nrm=iso>. Acesso em: 11 maio 2018.

ÁLVAREZ, Diego Armando Céspedes. O AUTOMÓVEL NAS CIDADES E O PLANEJAMENTO DETERIORADO. Inter espaço: Revista de Geografia e Interdisciplinaridade, [s.l.], v. 2, n. 7, p.45-60, 31 jul. 2017. Universidade Federal do Maranhão. http://dx.doi.org/10.18764/2446-6549.v2n7p45-60. Disponível em: <http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/interespaco/article/view/7364>. Acesso em: 11 maio 2018.

BIRESSELIOGLU, Mehmet Efe; KAPLAN, Melike Demirbag; YILMAZ, Barbara Katharina. ELECTRIC MOBILITY IN EUROPE: A COMPREHENSIVE REVIEW OF MOTIVATORS AND BARRIERS IN DECISION MAKING PROCESSES. Transportation Research Part A: Policy and Practice, [s.l.], v. 109, p.1-13, mar. 2018. Elsevier BV. http://dx.doi.org/10.1016/j.tra.2018.01.017.

BRASIL, República Federativa do. LEI Nº 10.257, DE 10 DE JULHO DE 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. 2001. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LEIS_2001/L10257.htm>. Acesso em: 13 maio. 2018.

BRASIL, República Federativa do. LEI Nº 12.587, DE 3 DE JANEIRO DE 2012
Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana; revoga dispositivos dos Decretos-Leis nos3.326, de 3 de junho de 1941, e 5.405, de 13 de abril de 1943, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, e das Leis nos 5.917, de 10 de setembro de 1973, e 6.261, de 14 de novembro de 1975; e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm>. Acesso em: 13 maio. 2018.

BRASIL, República Federativa do. LEI Nº 6.949, DE 25 DE AGOSTO DE 2009
Promulga a Convenção Internacional sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência e seu Protocolo Facultativo, assinados em Nova York, em 30 de março de 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/decreto/d6949.htm>. Acesso em: 13 maio. 2018.

BRASIL. PLAMOB. caderno de referência para elaboração de plano de mobilidade urbana, 2015. Disponível em: < http://www.cidades.gov.br/images/stories/ArquivosSE/planmob.pdf>. Acesso em: 13 maio. 2018.

BRASIL. EM 2030, 90% POPULAÇÃO BRASILEIRA VIVERÁ EM CIDADES, 2016. Disponível em: <http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2016/10/em-2030-90-da-populacao-brasileira-vivera-em-cidades>. Acesso em: 11 maio 2018.

CHOAY, FRANÇOISE (1965) - L'urbanisme utopies et realités; (1970). EL URBANISMO UTOPÍAS Y REALIDADES - Edición Española - Traducción Luis del Castillo Editora Lumen

CHRISTOPHER ALEXANDER; SARA ISHIKAWA; MURRAY SILVERSTEIN; MAX JACOBSON; INGRID FIKSDAHL-KING; SHLOMO ANGEL. UMA LINGUAGEM DE PADRÕES. 2013. ed. Porto Alegre: Bookman, 2013. v. 1

D’ANDREA, C. O ESTATUTO DA CIDADE E OS PLANEJAMENTOS DE TRANSPORTE E DE CIRCULAÇÃO. Universidade Federal de São Carlos, 2004. Disponível em: < http://redpgv.coppe.ufrj.br/arquivos/'Andrea_UFSCar2004.pdf>. Acesso em: 11 maio 2018

DETRAN/RS. ROTA EM CIRCULAÇÃO NO RS, 2018. Disponível em: <http://www.detran.rs.gov.br/conteudo/27453/frota-do-rs>. Acesso em: 7 jun. 2018.

DUARTE, Fábio. ARQUITETURA E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO: DA REVOLUÇÃO INDUSTRIAL A REVOLUÇÃO DIGITAL, 1999. Disponível em: <https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr;=&id=AgLyViiB65UC&oi=fnd&pg=PA11&dq=revolução+industri>. Acesso em: 11 maio 2018

FANINI V. e VACCARI L. (2011) SÉRIE DE CADERNOS TÉCNICOS: MOBILIDADE URBANA, PUBLICAÇÕES TEMÁTICAS DA AGENDA PARLAMENTAR CREA PR. Disponível em: < https://issuu.com/efzy/docs/rtp2011-127-03>. Acesso em: 11 maio 2018

GLOBO, G1. VEJA A REPERCUSSÃO DA GREVE DOS CAMINHONEIROS NA IMPRENSA INTERNACIONAL, 2018. Disponível em: <https://g1.globo.com/mundo/noticia/veja-a-repercussao-da-greve-dos-caminhoneiros-na-imprensa-internacional.ghtml>. Acesso em: 7 jun. 2018.

HARVEY, R.O.; CLARK, W.A.V. THE NATURE AND ECONOMICS OF URBAN SPRAWL. Land Economics, v. 41, n° 1 Fev, p. 1-9, 1965. Disponível em:< http://www.jstor.org/stable/3144884> Acesso em: 11 maio. 2018.

KNEIB, Erika Cristine; SILVA, Paulo Cesar Marques da. CENTRALIDADES URBANAS E GERAÇÃO DE VIAGENS: ANÁLISE HIERÁRQUICA NO CONTEXTO DO PLANEJAMENTO DE TRANSPORTES. Geografia socioeconômica, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p.298-309, 7 nov. 2011. Anual. Disponível em: <http://redpgv.coppe.ufrj.br/index.php/es/produccion/articulos-cientificos/2011-1/558-centralidades-urbanas-e-geracao-de-viagens-analise-hierarquica-no-contexto-do-planejamento/file>. Acesso em: 9 jul. 2018.

LARRANAGA, Ana Margarita. ESTRUTURA URBANA E VIAGENS A PÉ, 2012. Tese (Doutorado em Engenharia). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil.  Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/55454/000850505.pdf?sequence=1>. Acesso em: 11 maio. 2018.

LIMONAD, Ester. URBANIZAÇÃO DISPERSA MAIS UMA FORMA DE EXPRESSÃO URBANA? Revista Formação, São Paulo, v. 1, n. 14, p.31-45, jan. 2006. Trimestral. Disponível em: <http://revista.fct.unesp.br/index.php/formacao/article/view/705>. Acesso em: 11 maio. 2018.

MACHADO, L.; PICCININI, L. S. OS DESAFIOS PARA A EFETIVIDADE DA IMPLEMENTAÇÃO DOS PLANOS DE MOBILIDADE URBANA: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 10, n. 1, p. 72–94, 1 fev. 2018.

MELLO, Andréa; PORTUGAL, Licinio. UM PROCEDIMENTO BASEADO NA ACESSIBILIDADE PARA A CONCEPÇÃO DE PLANOS ESTRATÉGICOS DE MOBILIDADE URBANA: O CASO DO BRASIL. EURE (Santiago), Santiago, v. 43, n. 128, p. 99-125, jan.  2017. Disponível em <https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0250-71612017000100005&lng=es&nrm=iso>. Acessado em 11 maio 2018.  http://dx.doi.org/10.4067/S0250-71612017000100005.

NUNES, T.; ROSA, J. S.; MORAES, R. F. (Org.). SUSTENTABILIDADE URBANA: IMPACTOS DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SUAS CONSEQÜÊNCIAS SOBRE O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO EM PAÍSES EMERGENTES

ONU, DEPARTMENT OF ECONOMIC AND SOCIAL AFFAIRS, POPULATION DIVISION (2014). World Urbanization Prospects: The 2014 Revision, Highlights (ST/ESA/SER.A/352). Disponivel em:<https://esa.un.org/unpd/wup/publications/files/wup2014-highlights.pdf>. Acesso em: 11 maio. 2018.

ONU, ONU LEMBRA 10 ANOS DE CONVENÇÃO DOS DIREITOS DAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA, 2016. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/onu-lembra-10-anos-de-convencao-dos-direitos-das-pessoas-com-deficiencia/>. Acesso em: 13 maio 2018.

ONU-HABITAT, CIDADES TERÃO MAIS DE 6 BILHÕES DE HABITANTES EM 2050, DESTACA NOVO RELATÓRIO DA ONU, 2014. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/cidades-terao-mais-de-6-bilhoes-de-habitantes-em-2050-destaca-novo-relatorio-da-onu/>. Acesso em: 11 maio 2018.

PLANO DIRETOR DE DESENVOLVIMENTO INTEGRADO DE PASSO FUNDO. 2006. pp. 96. Disponível em: <http://www.pmpf.rs.gov.br/secao.php?t=11&p=376>. Acesso em: 11 maio 2018.

SCARINGELLA, ROBERTO SALVADOR. A CRISE DA MOBILIDADE URBANA EM SÃO PAULO. São Paulo Perspec., São Paulo, v. 15, n. 1, p. 55-59, jan.  2001. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-88392001000100007&lng=en&nrm=iso>. Acesso em 11 maio. 2018.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-88392001000100007.

SILVEIRA, M. R.; COCCO, R. G. TRANSPORTE PÚBLICO, MOBILIDADE E PLANEJAMENTO URBANO: CONTRADIÇÕES ESSENCIAIS. Estudos Avançados, v. 27, n. 79, p. 41–53, 2013. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142013000300004>. Acesso em: 11 maio 2018.

United Nations, DEPARTMENT OF ECONOMIC AND SOCIAL AFFAIRS, POPULATION DIVISION (2014). WORLD URBANIZATION PROSPECTS: THE 2014 REVISION, HIGHLIGHTS (ST/ESA/SER.A/352). Disponível em:<https://esa.un.org/unpd/wup/publications/files/wup2014-highlights.pdf>. Acesso em: 11 maio. 2018.

VASCONCELOS, Laura Cristina da Silva; FELIX, Giseli dalla Nora; FERREIRA, Flavio Henrique. ASPECTOS GERAIS SOBRE REGIÃO E O PROCESSO DE URBANIZAÇÃO BRASILEIRA. Espacio y Desarrollo, Lima, v. 19, n. 12, p.161-178, nov. 2007. Disponível em: <http://revistas.pucp.edu.pe/index.php/espacioydesarrollo/article/view/10642/11113>. Acesso em: 11 maio. 2018.

Villaça, F. (2001) ESPAÇO INTRA-URBANO. São Paulo, Studio Nobel.

 


Texto completo: PDF