Portal de Conferências da IMED, IX Mostra de Iniciação Científica e Extensão Comunitária e VIII Mostra de Pesquisa de Pós-Graduação da IMED 2015

Tamanho da fonte: 
Avaliação da microinfiltração marginal: adesivo autocondicionante
Alessandra Burille, Gabriela Trintin Scortegagna, Paula Ghiggi, Daiane Casarin

Última alteração: 2015-11-24

Resumo


Este trabalho avaliou em in vitro a capacidade seladora proporcionada pelo sistema adesivo autocondicionante Adesivo Single Bond Universal 3M ESPE , enfocando sua performance em relação a superfície de esmalte, bem como suas vantagens e desvantagens, procurando desmistificar o emprego desta nova tecnologia bastante promissora. Foram utilizados 20 dentes pré-molares humanos extraídos por razões ortodônticas, reservando 5 dentes para projeto piloto, e  os demais divididos em 2 grupos: Grupo Ecom: com condicionamento ácido do esmalte + Single Bond Universale Grupo Esem: aplicação exclusiva do sistema adesivo autocondicionante. os espécimes foram restaurados e em seguida impermeabilizados e imersos em solução aquosa de azul de metileno 1% por 24 horas e lavados. Para coleta dos dados os espécimes foram seccionados longitudinalmente, totalizando 30 amostras, e analisados em um contador de colônias manual (Phoenix CP 608)  por 2 avaliadores classificando os graus de infiltração em escores. Os  dados foram submetidos a análise estatística pelo Teste não paramétrico de Mann Whitney, proporcionando assegurar que não hove diferença estatísticamente considerável entre os dois grupos. O estudo concluíu que o condicionamento ácido do esmalte previamente à aplicação do sistema adesivo autocondicionante  não reduziu a presença de microinfiltração marginal, não havendo diferença estatisticamente significante entre os grupos (p> 0,89).


Palavras-chave


Infiltração Dentária; Adesivos Dentários; Ataque Ácido Dentário; Adesivos dentários; Adaptação Marginal Dentária

Texto completo: PDF