Portal de Conferências da IMED, I Fórum de Inovação Acadêmica IMED

Tamanho da fonte: 
Debates como forma de abordagem de dilemas médicos em Bioética
Michelle Mergener

Prédio: IMED - Bloco B
Sala: Sala 312
Data: 2017-11-10 04:15  – 05:15
Última alteração: 2017-11-06

Resumo


O ensino da Bioética e Deontologia Médica constitui na abordagem de assuntos que contribuam para que o aluno pense e se posicione frente às situações considerando a beneficência, a não maleficência, autonomia e a justiça. Esta disciplina auxilia na formação de profissionais guiados pela moral e pelo conhecimento da legislação. Assim, os “Debates em Bioética” objetivaram abordar assuntos que envolvem dilemas éticos na área médica de forma orientada e embasada na defesa de argumentos, propondo a disrupção de (pre)conceitos através do sorteio do ponto de vista a ser defendido. A atividade foi fragmentada em três fases: Eliminatória, Semifinal e Final. Os alunos organizaram-se em 8 equipes conforme afinidade. Uma semana antes da fase eliminatória, quatro assuntos foram sorteados, permitindo que cada duas equipes ficassem com o mesmo assunto. Vinte minutos antes de cada debate, sorteou-se do ponto de vista a ser defendido por cada equipe: Favorável ou Contrário. Os alunos que não estavam debatendo receberam uma ficha para avaliar aspectos sobre tempo de explanação, oratória, decoro, argumentação, contra-argumentação e conclusões. Na sequência, outros dois temas foram sorteados entre as quatro equipes semifinalistas, que tiveram uma semana para o preparo de argumentos e, apenas vinte minutos para organizarem-se conforme o ponto de vista sorteado. Para a etapa final, restavam duas equipes que receberam o assunto e o resultado do sorteio do ponto de vista a ser defendido apenas 30 minutos antes do debate acontecer. Todos os alunos participaram de forma satisfatória. Foi muito interessante observar o empenho das equipes na busca de argumentos em fontes confiáveis e em manter o decoro durante as exposições contrárias. Também foi possível observar a relutância contra a quebra de paradigmas pessoais nos momentos em que foi necessário defender um ponto de vista do qual o aluno não pactuava. Assim, acredita-se que foi possível extrapolar a dimensão formativa desses futuros médicos no sentido de vivenciarem uma situação que permitiu desenvolver os dilemas bioéticos sob o raciocínio crítico e disruptivo, contribuindo, para uma melhor convivência de forma democrática e pluralista, direcionada a buscar relações sociais e profissionais mais justas e humanizadas.