Portal de Conferências da IMED, V Mostra de Trabalhos do V Congresso Internacional de Propriedade Intelectual, Gestão da Inovação e Desenvolvimento - “A

Tamanho da fonte: 
A ECONOMIA DO COMPARTILHAMENTO NO CONTEXTO DA SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO
Natasha Ferreira

Última alteração: 2017-05-03

Resumo


Resumo

As inovações tecnológicas também influenciaram e influenciam a forma como as pessoas se comunicam, mas não só. Nesse contexto, a internet surgiu como um resultado do avanço tecnológico que acabou com as fronteiras físicas do conhecimento e da interlocução entre a população de todos os cantos do globo. Promoveu uma transformação na forma das pessoas se comunicarem, assim como na forma das pessoas fazerem negócios.

O compartilhamento de informações cresceu de forma tão intensa que a troca de dados entre dois pontos é insuficiente para alimentar o ímpeto de consumo de informações da nossa sociedade. O desenvolvimento das tecnologias com arquitetura peer-to-peer, baseadas no compartilhamento descentralizado de informações, ampliou as possibilidades de comunicação. Por meio desta inovação, a troca de dados não se dá entre um ponto e outro, mas sim por uma inter-relação entre todos os participantes de uma comunidade virtual. Cada usuário da rede peer-to-peer tem um fragmento de informação, possibilitando que ela funcione sem que todos os pontos estejam ligados entre si simultaneamente.

Assim, o fenômeno da economia do compartilhamento pode ser entendido como um sistema econômico baseado no compartilhamento de bens ou serviços subutilizados de forma direta entre os indivíduos, podendo se dar gratuitamente ou mediante uma tarifa. Dessa forma, envolve trocas totais ou parciais de produtos, serviços ou dados a partir de plataformas de diferentes tecnologias com objetivos distintos, com propósitos de lucro ou não e de diferentes graus de interação social. Com essas considerações, o presente artigo abordará a forma de surgimento da sociedade da informação e seu funcionamento. A partir desse contexto, será possível entender a definição da economia do compartilhamento e quais são alguns de seus principais modelos.

Para desenvolver a investigação proposta será utilizado o método de procedimento hipotético-dedutivo e de abordagem monográfica e comparativa. A técnica de pesquisa é a bibliográfica, em fontes primárias e secundárias.

Operou-se uma verdadeira revolução com o advento da internet. Simultaneamente, as inovações tecnológicas influenciam a comunicação e a interação entre as pessoas. As redes de relacionamento humano expandem-se diariamente, acabando com algumas barreiras que impedem o acesso à informação.

Nesse contexto, a sociedade da informação manifesta-se como uma proposta multidisciplinar com influências de distintas áreas de pensamento, sendo integrada pelo uso de tecnologias de informação e comunicações (TIC), com o objetivo de cooperação e  compartilhamento do conhecimento entre governos, universidades e empresas, com a finalidade de disseminar na população a formação de competências.

Assim, com o desenvolvimento das tecnologias da informação e das redes sociais, a facilidade de conectividade, os dispositivos e as aplicações móveis e os sistemas de geolocalização, possibilitou-se a automatização do gerenciamento de demanda, o aumento de interação social na internet e pelos grupos de interesse ou comunidades, o que resultou no desenvolvimento da economia colaborativa. Assim, essa nova forma de economia fornece a possibilidade de compartilhar de forma colaborativa a produção, no sentindo de partilhar ideias, concepções, meios de produção, entre outros. Também é possível compartilhar os recursos financeiros, ou seja, dinheiro.

Diante desse cenário, da sociedade da informação, surgiu a economia do compartilhamento. Essa nova forma de interação, possibilita o compartilhamento de bens e produtos subutilizados ou não utilizados. Todavia, já existem iniciativas que buscam auxiliar pessoas que não estão necessariamente conectadas a internet.  Logo, ocorre a integração dos desconectados com os usuários de aplicativos da economia do compartilhamento, como o Refugees Welcome (Refugiados Bem-Vindos), uma mistura de filantropia e compartilhamento de recursos para ajudar a combater os problemas decorrentes da imigração em massa de refugiados à Europa.

A partir do desenvolvimento das novas tecnologias, das redes de comunicação e da revolução tecnológica provocada pela internet, dentro do contexto da sociedade da informação, há o crescimento de tecnologias disruptivas – causadoras de grande impacto e transformação no mercado – que possibilitaram a criação de plataformas voltadas para o compartilhamento de recursos. Sob a perspectiva de que o acesso é tão importante quanto à posse, e com o gerenciamento de recursos mais eficiente decorrente das tecnologias da informação, emergiu a economia do compartilhamento (sharing economy).


Acesso livre à esta Conferência inicia em 2019-12-31.